ZONA ELEITORAL-Armas e votação não combinam, diz Moraes em encontro com comissão de transparência

Presidente do TSE, Alexandre de Moraes, durante simulação dos sistemas eletrônicos de votação em Brasília

"Zona Eleitoral" é uma coluna de notas sobre as eleições gerais deste ano, produzida pelos jornalistas da Reuters no Brasil

27 Set (Reuters) - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, disse na segunda-feira que "armas e votação não combinam" e reiterou a proibição de levar o telefone celular para a cabine de votação durante reunião com 56 representantes das entidades que compõem a Comissão de Transparência das Eleições (CTE) e o Observatório de Transparência Eleitoral (OTE).

No encontro virtual, com as entidades convocadas para reforçar a segurança do processo eleitoral por meio das urnas eletrônicas, Moraes também garantiu, segundo informações do TSE, que as eleições serão limpas, seguras, ordeiras e transparentes.

Ele lembrou da proibição do celular na cabine de votação no próximo domingo, para evitar que o voto seja filmado, e do porte de armas de fogo em um perímetro de 100 metros ao redor dos locais de votação.

CAMISA 10

A menos de uma semana do primeiro turno, o presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), vai reforçar a sua campanha no Estado de São Paulo e irá à Praia Grande, município da baixada santista no litoral sul, na quarta-feira, onde visitará a instituição de caridade liderada pelo astro da seleção brasileira Neymar.

A visita ao Instituto Neymar está prevista para as 12h, segundo a agenda de campanha de Bolsonaro, e será seguida de uma motociata e de um comício.

Neymar, que está com a seleção brasileira em Paris para um amistoso de preparação para a Copa do Mundo contra a Tunísia, não declarou apoio a Bolsonaro na eleição deste ano, mas ele já fez aparições públicas ao lado do presidente e em agosto deste ano o presenteou com uma bola autografada.

(Por Ricardo Brito)