WTorre e Santos saem otimistas após reunião com Prefeitura

Captação de recursos para a Nova Arena do Santos deve começar no segundo semestre (Imagem: Reprodução)


A WTorre e a Prefeitura de Santos estiveram juntos nesta quinta-feira (9) para discutir o projeto da nova Arena do Santos. Detalhes da parte burocrática, planos e a influência na cidade foram discutidos. Agora, a construtora espera acelerar o projeto de aprovação da obra com a municipalidade.

Segundo informações apuradas pelo LANCE!/DIÁRIO DO PEIXE, a reunião foi considerada muito positiva por ambas partes envolvidas e o resultado final foi de muito otimismo para viabilizar a construção. Os técnicos da Prefeitura e da WTorre foram os principais envolvidos na conversa.

No último dia 18 de maio, executivos da construtora se reuniram com a comissão designada pelo Conselho Deliberativo para acompanhar o processo. No encontro, a empresa ratificou os pontos apresentados em reunião do colegiado no dia 27 de abril.

Nesta semana, em entrevista ao Podcast Rolou o melão, da Espn, o presidente Andres Rueda falou sobre a situação envolvendo a Arena.

- Vai sair. Foi criada uma comissão dentro do nosso Conselho Deliberativo que vai acompanhar os trabalhos da WTorre, dia 9 tem uma reunião formal com a Prefeitura para ver zoneamento, plano diretor, e a próxima etapa, a gente imagina nesse segundo semestre, a captação do dinheiro com investidores. Não dá para começar uma Arena dessa se não tiver 100% garantido que o dinheiro está no banco. Senão eu não tiro um tijolo. Mas vai sair, tenho certeza que vai sair - afirmou Rueda.

Entenda o projeto

Segundo explicações dos executivos da empresa, a nova Arena seria para 30 mil torcedores com assentos cobertos e 500 vagas de estacionamento. Os valores do negócio giram em torno de R$ 400 milhões, com a WTorre atuando como gestora do estádio pelos próximos 30/35 anos.

Para viabilizar a obra, também será feita a venda antecipada de 5 mil cadeiras e camarotes premium para geração de receitas. O Santos não colocaria dinheiro na construção. A expectativa é que o custo operacional anual gire em torno de R$ 8 milhões.

Em paralelo, as duas partes vão iniciar os processos de aprovação nos órgãos competentes da Prefeitura de Santos e a construtora vai ao mercado para a captação de recursos para o financiamento da obra. Depois de todas as aprovações, o prazo para a construção da Arena é de 24 meses.

Caso o projeto seja aprovado pelos Conselheiros do clube, ainda com data não definida, os sócios também terão direito de voto para aprovação final.

No contrato em que ambos pretendem firmar há um acordo para um Seguro Garantia. Isso acontece em grandes obras para, em caso de alguma fatalidade que inviabilize a construção ou em algum aumento exponencial dos valores durante a execução da obra, os custos são cobertos pelo seguro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos