Wolff diz que Hamilton pode ter danos cerebrais em carro quicando

Hamilton conquistou cinco pódios consecutivos antes das férias de verão da Fórmula 1. Foto: Jure Makovec/AFP via Getty Images
Hamilton conquistou cinco pódios consecutivos antes das férias de verão da Fórmula 1. Foto: Jure Makovec/AFP via Getty Images

Toto Wolff fez afirmações preocupantes sobre os efeitos que o balanço do carro de Lewis Hamilton pode trazer ao heptacampeão no futuro. Segundo o chefão da Mercedes o britânico pode ter danos cerebrais com um carro quicando durante toda a temporada da Fórmula 1.

Além de fazer com que a equipe fique atrás de Red Bull e Ferrari na disputa do campeonato, o problema de engenharia do carro é visto como algo preocupante em relação a saúde dos pilotos.

Leia também:

O porpoising, como é conhecido o movimento, diminuiu nas últimas semanas graças a pistas mais suaves no Canadá, Grã-Bretanha, Áustria, França e Hungria, ajudando Hamilton a conquistar cinco pódios sucessivos.

As novas mudanças nas regras de 2022 ampliaram os problemas da F1, afetando a Mercedes e outros construtores no circuito. Wolff reclamou: “Ainda acredito que a FIA e todos nós devemos fazer algo a respeito”.

“Frequências de 1 a 1 hertz que duram alguns minutos podem causar danos cerebrais. Temos 6 a 7 hertz por várias horas”, explicou tecnicamente o homem forte da escuderia alemã.

Espera-se que a FIA faça pequenas mudanças nas regras durante as férias de verão, já que a categoria está em férias por quatro semanas antes do GP da Bélgica no final de agosto.

O órgão dirigente pretende então introduzir alterações técnicas nos carros do próximo ano para diminuir a agressividade dos pilotos.

Embora os ajustes no regulamento reduzam o problema, a Red Bull e a Ferrari, que conseguiram evitar grandes saltos até agora, estão menos interessadas na decisão, potencialmente prestes a perder uma vantagem de velocidade sobre seus rivais como resultado.

Em oposição, o chefe da Red Bull, Christian Horner, disse na semana passada que “suspeitava que é a questão de segurança” e acredita que o porpoising pode ser gerenciado por meio de alterações internas na configuração.

"Acho que depende de uma equipe como ela escolhe operar seu carro", disse ele.

Hamilton atualmente ocupa o sexto lugar na classificação dos pilotos, 10 pontos atrás de Carlos Sainz e 12 atrás do companheiro de equipe da Mercedes, Russell.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos