VP do Flamengo lamenta denúncia do STJD e provoca Atlético-MG: 'Não é nada de grande relevância'


A denúncia do STJD contra Gabigol e Arracaeta, por conduta violenta na partida contra o Athletico, foi criticada pelo vice-presidente geral e jurídico do Flamengo. Em entrevista ao Charla Podcast, Rodrigo Dunshee de Abranches lamentou a decisão da Procuradoria e disse acreditar que a dupla rubro-negra não será punida.

+ Quem chega e quem sai? Confira o vaivém do mercado no Flamengo

- Tenho muito a lamentar essa ação da Procuradoria. A jurisprudência toda diz que a decisão do árbitro no campo, tendo a revisão do VAR, não cabe ao Tribunal apitar o jogo. E provavelmente não vai, mas é lamentável pois tem um jogo importante quarta-feira e a Procuradoria está tirando a luz do jogo para ela, que não tem importância nenhuma. Nem eu tenho importância. Eu sou dirigente. Os jogadores que precisam aparecer. A decisão já foi tomada, os jogadores tomaram os cartões. Eu lamento, porque o futebol brasileiro perde muito com esse tipo de coisa.

Gabigol e Arrascaeta serão julgados na próxima terça-feira, véspera do jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil, e podem não entrar em campo na Arena da Baixada.

+ STJD acata pedido do Athletico e denuncia Gabigol e Arrascaeta por conduta violenta

O atacante foi denunciado no Artigo 254-A, que consta: praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente. Caso seja condenado pelo pleno do STJD, o atacante do Flamengo pode pegar de quatro a 12 jogos de suspensão.

O caso de do meia uruguaio é mais leve, embora ainda possa pegar um gancho considerável. O uruguaio foi denunciado no Artigo 254, por "praticar ação violenta". A punição é de um a seis jogos de suspensão em caso de condenação.

Flamengo x Athlético
Flamengo x Athlético

Gabi e Arrascaeta foram punidos no jogo contra o Athletico (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

Críticas e provocação ao Atlético-MG

Outro tema da entrevista de Rodrigo Dunshee foi a relação do Flamengo com o Atlético-MG. Os clubes têm uma histórica rivalidade e tiveram episódios de atrito nos últimos anos com as disputas no Brasileirão de 2021, na Supercopa e na Copa do Brasil em 2022.

- A relação do Atlético-MG com o Flamengo vem desde a época do meu pai, quando era presidente. Teve aquele jogo que ficou famoso, em que tiveram um monte de jogadores expulsos. O Zico até falou recentemente, que mereciam ter sido expulsos. Criaram essa relação deles provinciana com o Flamengo. Acho que eles querem rivalizar com o Flamengo para ver se conseguem crescer. Como já fez o Vasco e outros clubes. "Vou rivalizar com o maior para ver se pego uma casquinha". Mas não vai pegar, não é assim. Essa forma de gestão desse presidente é ruim. A relação dele com o Flamengo é ruim, com os demais clubes é ruim. Devia conversar mais e brigar menos, mas estamos aí. Ele vai bater de lá, e eu vou bater daqui. Bateu, levou.

Em tom de provocação, o vice-presidente geral e jurídico do Flamengo citou "complexo de inferioridade" e disse não se importar muito com o clube mineiro.

- A gente não dá essa relevância toda para o Atlético-MG. É o segundo clube de Minas em torcida. Não é nada assim, de grande relevância. Não ganhava um título há 50 anos, ganhou agora. Tem que comer muito feijão com arroz, mas entendo a estratégia deles, de rivalizar com o Flamengo para atritar torcida, ganhar um protagonismo maior, e talvez estejam conseguindo. Ontem, o Hulk perdeu o jogo e veio falar de Flamengo. É um complexo de inferioridade total. Ganha, fala do Flamengo. Perde, fala do Flamengo. Empata, fala do Flamengo. É campeão, fala do Flamengo. Pelo amor de Deus, vai cuidar da vida, vai pagar a conta para o mecenas dele, que estão devendo milhões.