De volta ao Fluminense, Alan precisará recuperar forma física e preencher lacunas no setor ofensivo

Alan foi campeão brasileiro pelo Fluminense em 2010 (Foto: Divulgação)


O Fluminense adquiriu mais um reforço para a temporada. Na última terça-feira, o clube anunciou a contratação de Alan, atacante de 32 anos que já tem uma história com o Tricolor. Moleque de Xerém e campeão brasileiro em 2010, o jogador vem para reforçar o setor, que sofrerá a saída de Fred e Luiz Henrique em julho. Sem atuar desde janeiro, ele deve passar por um período de adaptação física antes de entrar em campo.

Alan iniciou a carreira no Londrina, mas foi transferido para o Flu ainda na base. Depois de um ano no sub-20, foi promovido ao profissional em 2008. Na temporada seguinte, foi personagem importante para a campanha história que livrou o clube do rebaixamento. Em 2010, conquistou o Campeonato Brasileiro. Depois, foi para o Red Bull Salzburg, da Áustria. Em 2015, o jogador foi contratado pelo chinês Guangzhou Evergrande.

+ Fluminense chega a 40 mil sócios: saiba os clubes do Brasil com mais sócios-torcedores

Na Áustria, Alan foi artilheiro da competição nacional nas temporadas de 2013, 2014 e 2015. Nesta última, também conquistou a artilharia da Liga Europa, além de ter vencido a Taça da Áustria três vezes. Na China, o atacante viveu bons momentos e marcou 61 gols em 113 jogos. O jogador também foi tricampeão do torneio nacional e da Supercopa chinesa. O desempenho fez com que o atacante se naturalizasse para defender a seleção do país.

Apesar de estar há muito tempo longe do clube, Alan nunca se esqueceu do Fluminense. E tampouco foi esquecido pela torcida. Todo ano, o jogador relembra sua passagem no aniversário do clube, ao passo em que torcedores pediram pelo seu retorno na última janela de transferências. Na época, o jogador estava no fim do contrato com o Guangzhou, mas Mário Bittencourt negou a viabilidade da transferência.

- O Alan subiu comigo aqui quando eu era gerente de futebol. Temos uma relação excelente. Sempre que nos falamos ele manifestou o desejo de um dia voltar. Isso continua, mas não é verdade que ele está livre. Um dia ficando livre lá, ele tem interesse em retornar e temos interesse que ele venha. Ele não está livre. Nosso diretor executivo chegou a bater um papo com ele, mas no momento não há nada - disse Mário, no início deste ano.

Contudo, uma crise financeira mudou os rumos da carreira de Alan. A Evergrande, empresa que comprou o clube chinês, não conseguiu pagar credores no fim de 2021. Assim, o Guanghzou passou a enfrentar dificuldades e Alan, assim como outros brasileiros, retornaram ao país de origem. Em fevereiro de 2022, o jogador rescindiu o contrato, mas não encontrou novo clube, apesar de ter recebido propostas de clubes no Brasil.

Veja a classificação da Série A do Brasileirão

Sem atuar desde janeiro, quando defendeu a Seleção Chinesa nas Eliminatórias da Copa, Alan precisará retomar o ritmo. Por outro lado, o jogador pode entrar em campo antes mesmo do início da janela de transferências, em 18 de julho, já que não possui nenhum vínculo. De qualquer forma, todos os caminhos do jogador, que foi campeão por onde passou, apontam novamente para as vitórias com o Tricolor.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos