De volta à elite do futebol paulista e pronta para virar SAF, Portuguesa completa 102 anos

Mandatário da Lusa, Antonio Carlos Castanheira, fala sobre o futuro da Lusa (Foto: Divulgação)


Neste domingo (14), a Portuguesa comemora 102 anos de história. Depois de atravessar uma fase complicada, o clube passa por um processo de reestruturação administrativa e quer voltar a competir nas principais divisões do futebol brasileiro. Com salários em dia, dívidas parceladas e apresentando superávit, a Lusa conseguiu retornar à primeira divisão do Campeonato Paulista depois de oito temporadas.


GALERIA
+ Mercado nacional fecha na segunda-feira: os jogadores mais caros contratados na janela


Um dos principais objetivos da gestão de Antonio Carlos Castanheira, a criação da SAF, que foi aprovada em abril pelo Conselho Deliberativo, está em processo de lapidação na Portuguesa. Atualmente, a instituição realiza um estudo aprofundado do “valor” do clube, procedimento padrão para quem busca virar um clube-empresa. De forma sigilosa, dirigentes mantêm conversas avançadas com executivos que demonstraram interesse no projeto lusitano.

A ideia inicial é que a Portuguesa seja a sócia majoritária do acordo e que Castanheira assuma o cargo de CEO. Conforme o clube for retomando o prestígio nacional, novas “fatias” poderão ser negociadas.

Dentro de campo, o clube voltou a dar alegrias aos torcedores. Na campanha do título da Série A-2, mais de 28 mil rubro-verdes compareceram ao Canindé nos jogos decisivos da competição. Com o quadro associativo em alta, a Lusa atingiu mais de 1.200 sócios-torcedores, maior número da história da agremiação, superando até mesmo temporadas em que a equipe disputou a Série A do Campeonato Brasileiro.

Além da primeira divisão estadual, a vaga na Série D também é tratada como prioridade internamente. Para voltar a ter o calendário completo na próxima temporada, o título da Copa Paulista é a única alternativa. Caso seja vice-campeã, a Lusa dependerá da escolha do vencedor, que também pode optar por participar da Copa do Brasil.

No dia do aniversário da Portuguesa, a equipe entra em campo contra o Juventus-SP, em partida que será realizada no Canindé, às 11h (de Brasília). Em seis partidas, o time soma nove pontos e está na terceira colocação do Grupo 3. Para o mata-mata, avançam os dois melhores de cada chave e os terceiros colocados com as duas melhores campanhas.

Em entrevista ao LANCE!, Antonio Castanheira abordou diversos temas sobre o momento atual e as esperanças para o futuro da Portuguesa:

L!: Em qual estágio está o processo na busca por um investidor para SAF?
- Creio que estará tudo finalizado até o fim de novembro, todo o processo vem sendo conduzido com muita calma e segurança jurídica para o clube. É difícil cravar, mas quero iniciar essa nova era para a Portuguesa ainda em 2022. Estou no último ano de mandato, vejo com bons olhos uma nova eleição para colocar em prática toda a base que construímos nos últimos anos.

L!: Qual o perfil que a Portuguesa procura no investidor?
- Neste primeiro momento, não precisamos de centenas de milhões. Inicialmente, é mais interessante você buscar um acordo menor, comercializando menos cotas, até que a marca se valorize no mercado. Acredito que um grupo de investidores é o ideal para descentralizar a pressão em relação ao projeto. No fundo, mesmo que você monte uma seleção, sabemos que tudo é definido dentro das quatro linhas.

L!: No âmbito dos patrocinadores, como o clube consegue atrair as marcas para o uniforme?
- Temos oito empresas que investem na nossa camisa. Nos bastidores, conseguimos recuperar o nome da Portuguesa no mercado. Recentemente, com a Estrella Galicia, empresa do ramo de cervejas, conseguimos ampliar o rendimento da companhia com o trabalho realizado pelos executivos do clube. Isso mostra como funciona a gestão na Portuguesa, desde o controle do futebol até o contato com profissionais do mercado para fomentar as ativações dos patrocinadores. Em nossa camisa, também temos São Cristóvão Saúde, Grupo Euro17, Rede Graal, Banco Luso Brasileiro, Busscar, MG Contécnica e a Sem Acaso Comunicação Visual.

L!: Qual a importância da Copa Paulista para a Portuguesa?
- É a nossa ‘Copa do Mundo’, sabemos que nosso desempenho está um pouco abaixo do que foi apresentado no Paulistão, mas mantivemos 80% do elenco e depositamos muita esperança neste grupo. Na elite do Paulistão, temos a oportunidade de garantir essa classificação para 2024, mas queremos voltar agora. A Portuguesa é muito grande e precisa disputar as principais divisões do calendário brasileiro.