Volt calcula indenização milionária do Botafogo por quebra de contrato


O Botafogo pode conviver com problemas na Justiça por ações comerciais feitas antes da SAF. A Volt, marca de uniforme que tinha um acordo com o clube antes da chegada de John Textor, abriu uma investigação pela quebra do vínculo e está prestes a processar o clube em busca de uma indenização.

+ Parceiro do Botafogo, Molenbeek bate Grupo City e se torna o mais valioso da segunda divisão da Bélgica

Antes de Textor assumir o controle da SAF, o Botafogo já tinha um vínculo para a Volt assinar os uniformes de 2022 - já era certo que a Kappa, antiga fornecedora, sairia. O empresário, contudo, não gostou das condições e rompeu o acordo. Vale lembrar que tudo havia sido tocado por Lênin Franco, antigo diretor de negócios do clube.

A empresa brasileira pagou R$ 2,5 milhões de forma antecipada em luvas ao Botafogo pela assinatura do contrato. O valor foi utilizado pelo clube para ajudar no pagamento de premiações e salários na reta final da Série B. A Volt abriu uma investigação para descobrir os motivos da quebra de contrato por parte do Glorioso.

- (A investigação) Para entender o que aconteceu no Botafogo durante o período da assinatura do contrato e nos momentos seguintes. A parceria foi suspensa pelo Botafogo com um espaçamento curto, logo depois do recebimento das parcelas pagas pela fornecedora ao clube. Antes de acionarmos a justiça, iniciaremos com um pedido de investigação para apurar o que de fato houve - explicou Michel Assef, advogado da Volt.

Também estava no planejamento da empresa o lançamento de quatro lojas oficiais do Alvinegro - como informado pelo "O Globo". A indenização calculada pela Volt é no mínimo quatro vezes maior que as cifras depositadas para o clube.

+ Patrick de Paula 'some' no Botafogo e completa um mês sem jogar

- Além de receber o adiantamento do dinheiro por parte da Volt e nunca ter ressarcido a empresa, o Botafogo realizou a suspensão unilateral do contrato. A operação já estava pronta para o clube, com uniformes prontos e reformas na loja do Botafogo. Internamente, a Volt calcula que mais de R$10 milhões em peças já haviam sido requisitados pelos lojistas - completou o advogado.

A Volt alega que marcou quatro reuniões para tratar do assunto e buscar um acordo pela indenização, mas o Botafogo cancelou todos os encontros. Procurado pelo LANCE!, o Glorioso não se pronunciou até o fechamento desta matéria.

Sem patrocinador definido ainda, o Alvinegro tem utilizado uma camisa 'provisória' em 2022. A Reebok é a favorita para assinar os uniformes do clube na próxima temporada.