Seleção Brasileira terminou apenas uma Copa do Mundo com o time da estreia

Em toda preparação para uma Copa do Mundo, a grande especulação é sobre o time titular que a Seleção Brasileira vai colocar em campo em sua primeira partida. No entanto, historicamente, nem sempre a equipe da estreia é a mesma que termina a competição. Aliás, é uma exceção, já que apenas uma vez isso aconteceu na história das Copas.

Tirando da conta a Copa do Mundo de 1934, quando o Brasil fez apenas uma partida e foi eliminado, a Seleção terminou o torneio com o mesmo time que estreou somente na Copa de 1970, no México, quando se tornou tricampeão com um esquadrão inesquecível: Félix; Carlos Alberto Torres, Britto, Piazza e Everaldo; Clodoaldo, Gérson e Rivellino; Jairzinho, Pelé e Tostão.

Dessa forma, nas outras 19 Copas o Brasil teve pelo menos uma mudança na comparação entre a equipe da estreia e a equipe que fechou a competição. Isso levando em conta todo tipo de mudança, seja por opção do treinador ou desfalque por lesão e/ou suspensão.

Em 1958, no primeiro título mundial da Seleção Brasileira, seis titulares da estreia estiveram na final: Gylmar, Bellini, Orlando Peçanha, Nilton Santos, Didi e Zagallo. Já Djalma Santos, Zito, Garrincha, Vavá e Pelé iniciaram o torneio na Suécia como reservas.

Já em 1962, na segunda conquista canarinho, houve apenas uma mudança no time da final em relação ao time da estreia: Pelé, que havia sofrido uma lesão durante a primeira fase, e foi substituído por Amarildo até o caminho para a decisão no Mundial do Chile.

Em 1994, no tetra da Seleção, as mudanças promovidas por Carlos Alberto Parreira entre o time da estreia e o time da final foram motivadas por razões distintas. Aldair entrou no lugar de Ricardo Rocha, que se machucou. Branco substituiu Leonardo, que foi suspenso da Copa. E Raí deu lugar a Mazinho por opção do treinador.

No último título do Brasil, em 2002, o time que começou a Copa foi praticamente o mesmo que terminou, com exceção de Juninho Paulista, que foi substituído por Kléberson ao longo da competição. A alteração foi motivada por uma opção técnica de Felipão.

Para lembrarmos também da Copa de 2018, na Rússia, o Brasil precisou fazer duas substituições entre o time da estreia e o time que foi eliminado pelo Bélgica: Danilo, lesionado, deu lugar a Fagner, enquanto Casemiro, suspenso pelo acúmulo de cartões, foi substituído por Fernandinho. Ou seja, nenhuma por opção de Tite.

Número de mudanças da Seleção entre o jogo da estreia e o último jogo de uma Copa do Mundo

1930 - 7

1934 - fez apenas um jogo

1938 - 3

1950 - 3

1954 - 3

1958 - 5

1962 - 1

1966 - 7

1970 - 0

1974 - 5

1978 - 5

1982 - 1

​1986 - 2

1990 - 1

1994 - 3

1998 - 1

2002 - 1

2006 - 2

2010 - 1

2014 - 5

2018 - 2