Promotoria pede prisão sem fiança para Daniel Alves por acusação de agressão sexual

A Promotoria pediu que o jogador de futebol Daniel Alves, de 39 anos, seja posto em prisão preventiva sem pagamento de fiança, depois de o brasileiro ser detido, nesta sexta-feira (20), em Barcelona, por suspeita de agressão sexual — informou uma fonte da própria instituição.

De acordo com essa fonte, “a Promotoria pediu prisão preventiva comunicada e sem fiança”. Agora, acrescentou, espera-se pela decisão do juiz.

Alves foi detido esta manhã, após ser intimado para um interrogatório sobre uma suspeita de agressão sexual a uma mulher em uma boate de Barcelona no final de dezembro, relatou uma fonte da Mossos d'Esquadra, a polícia catalã.

Transferido para o tribunal da Cidade de Justiça, na capital catalã, o brasileiro prestou uma declaração ao juiz. Na sequência, a Promotoria solicitou que o jogador, atualmente no clube mexicano Los Pumas, fique preso à espera de julgamento.

Em 2 de janeiro, a polícia catalã recebeu a denúncia de uma mulher que disse ter sofrido toques indesejados por parte de Daniel Alves, disseram as mesmas fontes à AFP. Os fatos teriam ocorrido em uma boate de Barcelona na noite de 30 para 31 de dezembro, segundo a imprensa local.

- Jogador nega -

Em uma mensagem de vídeo transmitida ao canal Antena 3, em 5 de Janeiro, Alves negou os fatos.

"Não a conheço, nunca a vi", disse ele sobre a denunciante.

“Gostaria de negar tudo”, acrescentou, confirmando que esteve na boate, “se divertindo”, mas “sem invadir o espaço dos outros”.

Capitão da seleção brasileira e jogador de futebol mais vitorioso da história, com 43 títulos, estava de férias na cidade, antes de voltar para o México, após disputar a Copa do Mundo no Catar com a seleção brasileira, derrotada nas quartas de final.

Alves é casado com a modelo espanhola Joana Sanz, que em entrevista, também ao Antena 3, transmitida em 9 de janeiro, explicou a sua versão do ocorrido.

"No dia 30, ele foi jantar com os amigos, para desconectar um pouco, o que ele precisava muito para a cabeça. Saiu para dançar e tentar curtir a música como ele gosta, ponto final", disse.

É "uma notícia que não tem pé nem cabeça", acrescentou.

- Carreira europeia -

Foi no Barça, entre 2008 e 2016, que o lateral-direito viveu sua fase mais gloriosa, acompanhado de nomes como Lionel Messi, Xavi e Iniesta, conquistando 23 títulos, entre eles três Ligas dos Campeões, seis campeonatos espanhóis e quatro Taças do Rei.

No Catar, tornou-se o jogador brasileiro mais velho a jogar uma Copa do Mundo.

Alves começou sua carreira no Esporte Clube Bahia, no Brasil, e, em 2002, assinou pelo Sevilla FC, onde passou seis anos antes de ingressar no Barça.

Depois, viriam a Juventus, em Turim; o francês PSG, onde reencontrou o compatriota Neymar; e um retorno ao seu país em 2019, antes de retornar ao Barça por seis meses, na temporada 2021-2022.

Muito ativo nas redes sociais, Alves chegou a questionar o então presidente Jair Bolsonaro por comentários que considerou ofensivos, antes de oferecer-lhe seu apoio na eleição presidencial de 2022.

al/psr/tt