Jovens negros e das periferias formados em cursinhos populares dão aulas a outros jovens

A dificuldade de ingresso nas universidades brasileiras por jovens negros e periféricos é o mote de cursinhos populares que formam esse público para entrar no ensino superior. Jovens que venceram essa etapa e acreditam no potencial de transformação da educação voltam para os cursos onde se formaram para dar aulas. É o que ocorre em cursinhos populares como UneAfro, Curso Popular Base, Educafro, Projeto Kali, entre outros.