Carateca deixa o Irã para levar esposa, sua técnica, aos Jogos

O sonho de Hamoon Derafshipour, 28, quando entrava na adolescência em Teerã, capital iraniana, era disputar a Olimpíada. Destaque precoce do caratê em seu país, ele sabia ser difícil. Seu esporte nem estava no programa dos Jogos. Mas agora está e isso acendeu seu sonho.