Verstappen vence na Hungria e Leclerc sofre mais problemas

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Alan Baldwin

LONDRES (Reuters) - O líder do campeonato de Fórmula 1, Max Verstappen, da Red Bull, venceu o GP da Hungria depois de largar em 10º neste domingo, enquanto o rival da Ferrari, Charles Leclerc, sofreu outro pesadelo estratégico.

O sete vezes campeão mundial Lewis Hamilton terminou em segundo pela Mercedes com o companheiro de equipe George Russell, na pole position pela primeira vez, em terceiro, em uma repetição da corrida anterior na França.

Verstappen agora tem uma enorme vantagem de 80 pontos – mais de três vitórias – sobre Leclerc após 13 das 22 corridas.

O piloto da Ferrari liderou por um tempo, mas terminou em sexto quando sua estratégia de pneus se desfez.

"Resultado incrível. Quem teria pensado quando acordamos que iríamos vencer a corrida", disse Verstappen pelo rádio da equipe depois de receber a bandeira quadriculada em Hungaroring.

"Isso é o seu melhor", disse o chefe da equipe, Christian Horner. "Inacreditável. A melhor maneira de ir para as férias de verão e hoje não parece nada com o verão", acrescentou, com gotas de chuva caindo quando a corrida terminou.

A vitória foi a oitava de Verstappen na temporada e a 28ª de sua carreira. Ele agora tem 258 pontos contra 178 de Leclerc.

Hamilton, vencedor de um recorde de oito vezes na Hungria, mas começando em sétimo, sentiu que poderia ter vencido se seu sistema de redução de arrasto (DRS) não tivesse falhado nos treinos de sábado.

"Teríamos ritmo para vencer se não tivéssemos esse problema de DRS", disse o britânico à sua equipe pelo rádio depois de receber a bandeira quadriculada e marcar um ponto extra pela volta mais rápida.

TRÊS PARADAS

Hamilton usou um conjunto de pneus macios nas últimas 18 voltas e passou Carlos Sainz e Russell, da Ferrari, antes de sair em busca de Verstappen, que estava muito longe na pista.

Leclerc ficou se perguntando, não pela primeira vez nesta temporada, o que poderia ter sido se a Ferrari o tivesse colocado em uma estratégia diferente.

Enquanto o time italiano lambeu mais feridas auto-infligidas, outros viram apenas erros.

O monegasco fez três pit-stops, um a mais que outros, depois de largar com pneus médios. Ele depois mudou para pneus duros - perdendo desempenho e lugares - antes de finalmente mudar para os macios.

A Mercedes está se aproximando da Ferrari na classificação de construtores. A Red Bull tem 431, a Ferrari 334 e a Mercedes 304.

Sainz terminou em quarto com Sergio Perez em quinto para a Red Bull. Lando Norris ficou em sétimo para a McLaren com Fernando Alonso da Alpine e Esteban Ocon em oitavo e nono.

O tetracampeão mundial Sebastian Vettel, que anunciou na quinta-feira sua aposentadoria no final da temporada, levou o ponto final para o Aston Martin após outra batalha acirrada com o companheiro de equipe Lance Stroll em 11º.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos