Veiga admite receio após lesão e busca olhar para frente depois de eliminação do Palmeiras


O Palmeiras venceu o Cuiabá, por 1 a 0, nesta segunda-feira, e reassumiu a ponta do Brasileirão. No entanto, o assunto pós-jogo ainda foi a eliminação da Copa do Brasil e suas consequências. E quem falou sobre o tema foi justamente um dos personagens principais: Raphael Veiga, que admitiu ter voltado com "receio" da lesão, mas garante que não foge das responsabilidades no clube.

GALERIA
> Confira os públicos do Palmeiras no Allianz Parque em 2022

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2022 clicando aqui

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Depois da vitória sobre o Dourado, o meia foi um dos palmeirenses a passar pela zona mista do Allianz Parque. Obviamente, ele acabou sendo questionado sobre a queda para o São Paulo na última quinta-feira, e afirmou que logo após a desclassificação e ficar sabendo de tudo o que aconteceu para que culminasse nesse resultado, a vontade do camisa 23 era de prontamente voltar a jogar.

- Quando a gente é eliminado de um jogo e depois fica sabendo de tudo o que aconteceu, por mim eu já queria jogar no outro dia, para apagar isso mais rápido. Mas é isso, no futebol acontecem coisas desse tipo, a gente tem que estar preparado, lógico que a gente não queria que acontecesse isso, a gente sabia onde poderia chegar, mas é bola para frente, não tem que ficar lamentando.

- A vitória foi importante para seguir na liderança, confiança para o nosso time, continuar no ambiente bom que a gente tem, a vitória ajuda muito nisso. Estou feliz pelo Palmeiras ter ganho, estou feliz pelos meus 200 jogos, porque fazer 200 jogos com uma camisa como essa, ganhar os títulos que a gente tem ganhado, é muito importante para a minha carreira, e não é qualquer jogador que consegue - completou Veiga ao falar de seus feitos pelo Verdão.

Nos últimos tempos, o meia acabou passando por alguns problemas que o afastaram dos gramados. Primeiro foi a Covid-19, depois foi uma lesão muscular, que até hoje deixa consequências. Segundo ele, o problema faz com que haja um certo receio em alguns movimentos, mas já há a noção de que tem evoluído para ajudar o Palmeiras.

- Acredito que eu tenho evoluído, quando eu voltei da lesão, eu acho que nunca tive uma lesão muscular daquele tipo, fiquei um pouco receoso de fazer alguns movimentos, eu senti muito isso, mas eu tenho me soltado mais, até porque foi um mês e pouco, antes disso eu fiquei com Covid, então juntou tudo isso, mas eu tenho me sentido bem, acredito que tenho ajudado, tenho evoluído e daqui para frente continuar evoluindo, continuar fazendo gols, porque eu sei que eu posso e aonde o Palmeiras pode chegar.

Por fim, o jogador do Alviverde falou do abalo que a eliminação causou não somente nele, mas também em quem vive ao seu redor. Apesar de perder os pênaltis recentes, entre eles dois que custaram classificação, Veiga diz não fugir das responsabilidade e que não é por conta desses vacilos que ele vai se tornar o pior cobrador.

- Quando acontecem essas coisas, eu tenho que cuidar para ficar tranquilo, porque é uma responsabilidade que quem joga no Palmeiras tem, mas as pessoas que ficam próximas sentem muito, então também tem que passar tranquilidade para eles. Eu cheguei em casa muito chateado pela eliminação, por como foi a eliminação, assumo a responsabilidade, mas eu sempre vou ser o cara que vai estar na frente para assumir a responsabilidade quando precisar, eu nunca vou me esconder, e estou sempre disposto a fazer as coisas para ajudar o Palmeiras. Nunca fui o melhor batedor de pênalti e não sou o pior agora - concluiu o meia.

Veiga - Palmeiras x Cuiabá
Veiga - Palmeiras x Cuiabá

Veiga falou na zona mista do Allianz (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos