Vasco SAF: desembargadora declara suspeição e pede encaminhamento do processo para outro relator

777 Partners adquiriu 70% do futebol do Vasco por R$ 700 milhões (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)


O Vasco segue sem poder seguir com o rito da SAF. A desembargadora Lúcia Regina Esteves se declarou suspeita para julgar o recurso, que tenta derrubar a liminar que suspendeu a programação para aprovar a venda do futebol do clube para a empresa 777 Partners.

Na prática o recurso é devolvido para o desembargador José Carlos Maldonado de Carvalho, primeiro vice-presidência do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Após, será redistribuído para outro relator.

O despacho da desembargadora atrasa ainda mais o processo e preocupa o Cruz-Maltino, uma vez que a janela de transferências se encerra no dia 15 de agosto. Até o momento, o Vasco contratou apenas Alex Teixeira.

A suspeição por foro íntimo, alegada pela doutora, é subjetiva. Ou seja, o magistrado não precisa se justificar. Além disso, o mecanismo é utilizado para o magistrado se desincumbir do exercício de julgar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos