Vampeta é alvo de ação da Justiça após três anos de atraso em pensão para filhas

Vampeta tem problemas na Justiça por conta da pensão das filhas (Foto: Reprodução/Jovem Pan)


Vampeta foi acionado pela Justiça de São Paulo a pagar R$ 495.646,99 em dívidas alimentícias para duas filhas, em ação que tramita pela 5ª Vara Cível de Barueri. O processo começou em dezembro de 2018, quando três pagamentos não foram feitos. As jovens, atualmente, têm 19 e 21 anos. A informação é do o "g1".

+ Janela europeia fechada! Veja os 20 clubes que mais gastaram no período

Segundo a reportagem, os valores das parcelas giravam em torno de de R$ 8.463 a R$ 12.092,67 e ficaram em atraso desde setembro de 2018. Na época, deveriam ser pagos mais de R$ 61mil.

AdChoicesPUBLICIDADEOs desdobramentos do caso aconteceram em meio à pandemia, período em que prisões para devedores de pensões alimentícias foram revogadas pela Justiça. Com isso, a defesa das filhas do ex-jogador solicitou que a prisão fosse "convertida" a penhora de um dos seus imóveis.

+ Esposa de árbitro do título do Palmeiras sobre o Flamengo na Libertadores bomba no OnlyFans

Neste ano, Vampeta ofereceu um apartamento avaliado em cerca de R$ 650 mil para quitar a dívida. No entanto, nele estaria morando outra ex-mulher do ex-atleta e, por isso, a proposta não foi aceita.

A defesa das jovens solicitou, então, à Justiça que seja encaminhado um documento para a rádio "Jovem Pan", em São Paulo, na qual o ex-atleta presta serviço. O objetivo é que seja descontado do salário de Vampeta até o atingir o valor de R$ 495.646,99.

JUÍZA BLOQUEIA CONTAS BANCÁRIAS DE VAMPETA

Foi noticiado nesta semana que, as contas bancárias do ex-jogador foram bloqueadas por conta de uma dívida com a Escola Castanheiras. O colégio fica localizado em Santana do Parnaíba, e as filhas de Vampeta estudam lá desde 2013. O processo judicial foi aberto pelo instituto em 2015, e os valores da dívida giram em torno de R$294 mil.

Vampeta e Roberta Soares, sua ex-mulher, não podem mais recorrer na Justiça e são condenados para pagar a dívida. O processo já transitou em julgado. O ex-jogador alegou que não assinou nenhum contrato com a escola, mas a juíza não aceitou essa argumentação.