Valente, São Paulo segura empate sem gols no Mineirão e impede Atlético-MG de chegar na liderança

Jogadores do Tricolor marcam Hulk: atacante não superou defesa improvisada (Foto: Pedro Souza /Atlético-MG)


Desfalcado de 14 jogadores e com a cabeça no clássico com o Palmeiras na próxima quinta-feira (14), pela Copa do Brasil, o São Paulo foi valente e conseguiu segurar o empate em 0 a 0 com o Atlético-MG na tarde deste domingo (10), no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro.


Foi um jogo de muita força defensiva do Tricolor, que contou com o lateral-direito Rafinha improvisado como terceiro zagueiro no setor ao lado de Luizão e Miranda, as únicas opções disponíveis para o clube no jogo de hoje.

A ordem era não deixar o forte Galo, que chega a seu nono jogo seguido sem derrota, jogar. E o Tricolor, que também festeja uma invencibilidade que perdura desde o dia 20 de junho, conseguiu. Ajudado, claro, pelo péssimo estado do gramado do Mineirão.

O Galo, que lutava para chegar na liderança do Brasileirão, permanece em terceiro lugar na tabela, com 28 pontos. O Tricolor segue em sétimo, com 23.

Sorte em campo, azar nas contusões. A bruxa continua e o Tricolor viu Reinaldo deixar o campo com dores na virilha com menos de dez minutos de jogo. Preocupa para o Choque-Rei.

O JOGO

Com uma linha defensiva de cinco jogadores, em um jogo extremamente cadenciado, meio por culpa do respeito entre os times, meio por culpa do gramado em estado pífio do Mineirão, o São Paulo conseguiu segurar o ímpeto do Galo nos minutos iniciais de partida. E até surpreendeu criando as melhores chances iniciais.

Aos 6', após cobrança de escanteio pela esquerda, Patrick pegou a bola na sobra e bateu sem ângulo, na linha de fundo, nas mãos de Everson.

Aos 10', a bruxa das contusões voltou a assombrar o Tricolor. Reinaldo sentiu a virilha ao dar um pique para tentar pegar a bola e precisou ser substituído. Jogador preocupa para o clássico contra o Palmeiras, na quinta.

O Atlético seguia sem conseguir encontrar um caminho para encaixar o seu ataque. Isso até os 26', quando enfim apareceu no Mineirão. Hulk tabelou com Vargas na entrada da área, recebeu nas costas de Luizão e bateu cruzado de direita. Jandrei espalmou para o meio da área. E na sobra Nacho preferiu o toque para tentar encontrar alguém ao invés da finalização.

Era o caminho para o Galo, que dois minutos depois insistiu novamente na jogada pelo setor. Hulk chegou de novo pela ponta direita, pedalou na frente de Wellington dentro da área, limpou para o pé direito deixando o marcador no chão e bateu para a defesa de Jandrei.

A resposta são-paulina veio aos 31'. Welington arrancou pela direita, limpou a marcação e encontrou Igor Gomes na entrada da área. Ele dominou e chutou, mas a bola desvia para escanteio.

Aos 40', o camisa 26 tricolor foi de novo o nome ofensivo do jogo. Em jogada de contra-ataque pela esquerda, Patrick só escorou para Igor Gomes finalizar para fora, com perigo.

TABELA
> Confira classificação, jogos e simule resultados do Brasileirão-22
> Confira todos os jogos da Sul-Americana-22
> Conheça o novo aplicativo de resultados do LANCE!

SEGUNDO TEMPO

Na volta do intervalo, a dinâmica da partida se manteve igual, mas desta vez com um São Paulo ainda mais dedicado à defesa. Isso fez com que o Galo aumentasse a intensidade ofensiva. Mas faltou a objetividade.

Aos 17', após cruzamento à área, Jandrei desviou mal, Hulk pegou a sobra e bateu da intermediária, tentando encobrir o arqueiro, mas a bola foi para fora.

O Atlético mexeu. Colocou volantes que poderiam dar mais articulação a seu meio-campo. Ceni respondeu subindo a marcação e o resultado foi imediato.

Aos 23' Igor Vinícius arrancou pela direita e fez um bom cruzamento que passou por todo mundo, inclusive Patrick, que deu um carrinho para tentar alcançar. No minuto seguinte, Pablo Maia roubou a bola no campo de defesa e bateu da entrada da área obrigando Everson a defender em dois tempos.

Aos 28', depois de Junior Alonso desperdiçar chance em cobrança de falta pelo Galo, o São Paulo respondeu de novo. Luizão desarmou Hulk e já ligou Welington no contra-ataque, que passou pela marcação e finalizou com perigo da intermediária.

O Galo até cresceu no jogo. Apareceu com perigo em algumas oportunidades de bola parada. Mas sentiu dois lances em que reclamou pênaltis que acabaram não marcados pela arbitragem, após verificação do VAR. Era a deixa para selar o 0 a 0.

PRÓXIMOS JOGOS

São Paulo e Atlético-MG voltam a campo pelo Brasileirão no próximo domingo (17). O Tricolor faz o duelo com outro time de três cores, o Fluminense, às 16h (de Brasília), no Morumbi. O Galo encara outro alvinegro, o Botafogo, às 18h (de Brasília), no Rio de Janeiro (RJ).

Antes, contudo, os compromissos são pela Copa do Brasil. Ambos sustentam uma vantagem obtida com as vitórias nas partidas de ida das oitavas de final. O São Paulo enfrenta o Palmeiras, na uinta-feira (14), na casa do rival. O Atlético encara o Flamengo, um dia antes, no Maracanã.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 0 x 0 SÃO PAULO


Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data/Horário: 10/7/2022 (domingo), às 18h (de Brasília)
Árbitro: Anderson Daronco (FIFA-RS)
Auxiliares: Rafael da Silva Alves (FIFA) e Lucio Beiersdorf Flor (ambos do RS)
VAR: Adriano Milczvski (PR)
Público e renda: 52.356 pagantes/R$ 1.957.818,72

Cartões amarelos: Hulk (Atlético); Igor Vinícius (São Paulo)

ATLÉTICO-MG
Everson; Guga (Mariano 43/2), Igor Rabelo, Junior Alonso e Rubens; Allan, Otávio (Jair 18/2), Nacho (Calebe 43/2), Zaracho (Ademir 18/2) e Vargas (Eduardo Sasha 26/2); Hulk
Técnico: Turco Mohamed

SÃO PAULO
Jandrei; Rafinha, Luizão e Miranda; Igor Vinícius, Pablo Maia, Igor Gomes (Moreira 34/2), Talles Costa (Rodriguinho 47/2), Patrick (Éder 35/2) e Reinaldo (Welington 10/1); Calleri
Técnico: Rogério Ceni

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos