Vítor Pereira destaca espírito do Corinthians contra o Galo e elogia goleiro estreante: 'Hoje foi Carlão'

VP à beira do gramado contra o Fluminense (Foto:Rodrigo coca / Ag. Corinthians)


Vítor Pereira reconheceu que o Corinthians se abalou após o primeiro gol da partida, marcado por Keno, mas o treinador português destacou durante a entrevista coletiva o espírito de superação que a equipe mostrou para buscar a virada e vencer o Atlético-MG por 2 a 1, pela décima nona rodada do Brasileirão.

+ GALERIA - Fábio Santos vira herói do Corinthians em virada sobre o Atlético-MG

- Jogo difícil, não é fácil chegar aqui e jogar contra o Atletico-MG. Fizeram um belíssimo gol no primeiro chute ao gol. Depois tivemos que nos encontrar, perdemos um pouco o equilíbrio, essencialmente o emocional, perdemos bolas que não devíamos ter perdido. Mas fomos entrando no jogo, com qualidade, em um gramado que não está grande coisa. Conseguimos no espírito, na qualidade, conseguimos dar a volta em uma resultado que era negativo - iniciou o treinador corintiano em sua coletiva.

Com o resultado no Mineirão, o Timão fechou o primeiro turno do Brasileirão na segunda posição, com 35 pontos, quatro a menos do que o Palmeiras. Vítor fez uma análise da primeira parte do campeonato, reconhecendo que montou em diversas ocasiões uma estratégia mais pragmática para conseguir os resultados em meios aos desfalques.

- Nós tivemos momentos em que tivemos 10 jogadores fora. Muitos jogos fizemos uma equipe de sobrevivência, conseguir contrariar o adversário, fazer um gol. Fomos durante muitos jogos uma equipe mais resultadista, que garantiu os pontos para chegar hoje em condições de apresentar um futebol de maior qualidade - disse.

Com o retorno dos lesionados e as novas contratações, ele espera que seu time pratique um futebol mais vistoso.

- A tendência é para melhorar nossa qualidade, porque agora vamos tendo soluções. Muita gente estava de fora. Durante o turno, continuamos no meio da luta. Agora é jogo com mais argumentos. Vamos ter o jogo da Copa do Brasil daqui a três dias, muito importante para nós. É preparar para ver os jogadores que estão em condições - comentou.

+ TABELA - Veja datas e simule os jogos do Corinthians no Brasileirão

Vítor Pereira também se mostrou contente e satisfeito com a atuação de Carlos Miguel, que fez sua estreia pelo Corinthians na ausência de Cássio. O treinador destacou a personalidade do goleiro de 23 anos.

- O Carlos Miguel hoje foi Carlão. Tem uma envergadura enorme que ocupa muito o gol, não é fácil para a altura que tem. É um goleiro rápido entre os postes, não é fácil encontrar. Só faltava perceber a personalidade, em termos de qualidade já tinha percebido, treino, tinha competência que o podem levar para o outro nível. Estrear em um jogo desses não é fácil. Ele estava tranquilo em todos os momentos, fez um jogo competente, de qualidade - afirmou.

O treinador corintiano deu mais detalhes sobre a lesão de Cássio, que sequer viajou para Belo Horizonte. Ele evitou cravar a presença do camisa 12 no jogo de quarta-feira (27), contra o Atlético-GO, pela partida de ida das quartas de final da Copa do Brasil.

- Cássio já vem com o problema do jogo anterior. Contra o Coritiba, pensávamos que era algo passageira, mas inflamou mais durante o jogo. Hoje não quisemos arriscar. Não sei se terá condições de jogar o próximo jogo. Tem que ser o departamento médico a dizer algo - ponderou.

VEJA OUTRAS RESPOSTAS DE VÍTOR PEREIRA NA COLETIVA

USO DOS JOGADORES QUE VOLTARAM DE EMPRÉSTIMO (RAMIRO, VITAL E NATEL)

​- Não conhecia os jogadores, tem treinado bem. Vamos ver como ficará a composição do elenco, e depois tomaremos decisões conjuntas, eu, staff, direção do clube. Ainda é prematuro, preciso perceber como ficará o elenco para dar a resposta as competições que temos pela frente.

DEFESA COM BALBUENA E BRUNO MÉNDEZ
- Normalmente fujo das análises individuais, porque o futebol é coletivo. O Balbuena e o Bruno Mendez fizeram um belíssimo jogo, tiveram um nível muito alto.

ANÁLISE DOS GOLS DA PARTIDA
- Quando falamos do adversário, sabemos que o Keno vai para dentro e chuta com o pé direito, o Hulk o mesmo com o pé esquerdo. Sabíamos que tínhamos que parar esses jogadores, que têm um chute forte. Na do Keno não conseguimos e ele fez um bom gol. Depois, demos a volta em uma belíssima jogada no primeiro gol. Cruzamento do Fagner e o Fábio apareceu como centroavante, fez um belo gol. Depois, o Giovane, entrou cheio de vontade, ia dar aceleração, vai para cima, não tem amarras táticas, foi para cima e conseguiu uma penalidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos