Vítor Pereira, do Corinthians, se retrata após declaração sobre cargo ameaçado: 'Não me expressei da melhor forma'

Vítor Pereira perdeu seu terceiro Dérbi no ano (Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians)


O técnico Vítor Pereira se retratou sobre a declaração dada após a derrota no Dérbi para o Palmeiras, pela 22ª rodada do Brasileirão, quando foi questionado por um repórter na coletiva sobre a pressão no Corinthians.

+ GALERIA - Erro de Fagner custa caro em Dérbi; veja nota dos jogadores do Timão

Ao ser indagado se temia uma possível demissão, Vítor riu da pergunta feita pelo jornalista, foi enfático na negação e citou até sua conta bancária na resposta:

- Eu, nesta fase da minha vida, da minha carreira, ter medo de perder o emprego? Sabe quanto dinheiro eu tenho no banco, amigo? Eu tenho a vida estabilizada. Estou aqui no Corinthians e se não estiver no Corinthians, estou em outro clube qualquer. E quando eu quiser - disse o português.

A declaração não caiu bem na torcida. A Estopim da Fiel, uma das principais organizadas do clube, emitiu uma nota repudiando as declarações do técnico alvinegro.

+ TABELA - Dérbi definiu o Brasileirão? Simule os jogos do campeonato

Ao jornal português "A Bola", o treinador corintiano admitiu não ter se expressado da melhor maneira, condicionou a declaração ao nervosismo após o revés diante do rival e explicou que não veio ao Timão pelo dinheiro pois conseguiu atingir estabilidade financeira ao longo de sua carreira.

- De fato, não me expressei da melhor forma, reagi a quente, enervado, sem paciência, depois de uma derrota que para mim foi injusta mas, enfim, é futebol. (...) O que eu quis dizer, e provavelmente não me expressei da melhor forma, é que não vim para o Corinthians por dinheiro porque, graças a Deus, ao trabalho e à sorte, fui construindo a minha carreira sem me motivar por dinheiro - explicou o técnico.

>>> Assine o Premiere no Prime Video e acompanhe todas as emoções do seu clube no Brasileirão<<<

Vítor Pereira reforçou seu comprometimento com o clube e se sensibilizou com o sofrimento dos torcedores corintianos.

- Vim para o Corinthians por paixão e estou de corpo e alma no Corinthians e a perceber claramente o sentido de vida destes corintianos, desta gente do povo, que trabalha, que sofre e que, muitas vezes, para ir ao estádio gasta o dinheiro que não tem - comentou o português.

- Eu também vim de um meio humilde, sei o que são dificuldades, portanto não queria dizer aquilo no sentido que pareceu que estava a dar. O que queria dizer é que não estou no futebol com medo de despedimentos porque, graças a Deus, sou uma pessoa independente porque a vida me permitiu construí-la sem depender de ninguém, essa fase da minha carreira do medo de despedimentos já passou há muito tempo. E vou estar de corpo e alma, com paixão, neste clube enquanto o Corinthians quiser - concluiu Vítor Pereira ao jornal "A Bola".

Mesmo com o momento conturbado na temporada - eliminação na Libertadores e distância para o líder Palmeiras em nove pontos - a diretoria alvinegra não cogita demitir Vítor, como apurou o LANCE!.

O comandante lusitano possui vínculo com o Timão até o final da temporada, e a ideia da cúpula alvinegra é ter Vítor Pereira até o fim do contrato, e depois avaliar com o português uma possível continuidade para o ano que vem.

A missão do treinador português é reverter a desvantagem de dois gols na Copa do Brasil. Na quarta-feira (17), às 21h30, o Corinthians recebe o Atlético-GO, na Neo Química Arena. Uma vitória corintiana por dois gols de diferença leva a decisão aos pênaltis.