Torcedor espancado por policiais rompe silêncio após 75 dias internado

Rai Duarte, torcedor do Brasil de Pelotas, afirma que foi espancado por
Rai Duarte, torcedor do Brasil de Pelotas, afirma que foi espancado por "cinco ou seis" policiais militares. Foto: (Reprodução/Redes Sociais)

Internado há mais de dois meses em um hospital de Porto Alegre, o torcedor do Brasil de Pelotas, Rai Duarte, rompeu o silêncio sobre o que aconteceu com ele após a partida entre o clube Xavante e o São José, em disputa válida pela Série C do Campeonato Brasileiro. Retirado do ônibus da torcida por policiais militares, Rai afirma ter sido espancado por "cinco ou seis" oficiais.

Em entrevista à Rádio Gaúcha, Rai afirmou que foi levado para uma sala escura e agredido por policiais da Brigada Militar durante mais de meia hora: "Fui pego dentro do ônibus e levado para dentro do estádio. Fui espancado por cinco ou seis, e tinha um que comandava tudo. Eram policiais. Primeiro me levaram para dentro do estádio junto com os outros, que foram detidos pois estavam brigando. Eu não sei o motivo por que fui detido. Depois me levaram para dentro de uma salinha, que era um banheiro escuro. E me agrediram mais ainda pois eu falei que era colega (Rai foi policial temporário). Me chamavam de lixo, davam tapas na cara e chutes. Estavam quase me matando e comecei a gritar. Acho que a intenção deles era mesmo me matar".

Leia também:

Rai passou 47 dias em coma induzido na UTI do Hospital Cristo Redentor por causa de um corte profundo no intestino, que gerou uma hemorragia.

Em nota oficial emitida pela BM, a instituição afirma que investiga internamente a autoria das agressões: "A Corregedoria-Geral da Brigada Militar investiga os fatos relacionados à atuação de policiais militares durante intervenção ocorrida no dia 01 de maio de 2022, no Estádio Passo D’areia “Esporte Clube São José”, após confusão generalizada entre torcedores do Esporte Clube São José e torcedores do Grêmio Esportivo Brasil de Pelotas, em partida válida pela Série C do Campeonato Brasileiro. Durante a intervenção um torcedor foi retirado de dentro do ônibus por Policiais Militares do 11º Batalhão de Polícia Militar, e após esse fato, este torcedor foi hospitalizado em estado grave.

Em 14 de julho de 2022, foi ouvido a termo o torcedor hospitalizado. As declarações prestadas ao Oficial Encarregado do Inquérito Policial Militar (IPM) foram de fundamental importância para a elucidação dos fatos. As informações contribuirão para a construção do cenário probatório visando à individualização de todas as condutas e a formação da convicção necessária à propositura da ação penal.

Desde seu início, a investigação policial militar é acompanhada pelo Ministério Público, OAB/RS e Defensoria Pública/RS.

Diante destes fatos, ratifica-se que, em momento oportuno e adequado, mediante evolução das novas fases da investigação será marcada coletiva de imprensa para exposição e esclarecimento dos fatos".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos