Top no Brasil e sendo premiado em Portugal: Abel Ferreira é valorizado após trajetória no Palmeiras

Abel Ferreira recebeu o prêmio de melhor treinador português fora do país (Foto: Cesar Greco/SE Palmeiras)


Abel Ferreira recebeu mais um prêmio em Portugal, concedido pela associação de jornalistas esportivos do país. No entanto, não é segredo que o técnico do Palmeiras tem sido reconhecido por lá após seu trabalho aqui no Brasil. Mas qual, de fato, seria a imagem que o bicampeão da Libertadores tem construído em solo português. Para saber do tema, o LANCE! foi atrás de jornalistas conterrâneos de Abel.

GALERIA

> Data Fifa vai tirar 23 jogadores do Brasileirão: veja a lista
> Veja quem está a caminho de virar SAF no Brasil

O atual comandante do Verdão iniciou a vitoriosa carreira de treinador na equipe sub-19 do Sporting, de Portugal, conquistando o título nacional da categoria. Subiu para o time B do clube e, com isso, foi contratado pelo Braga. Em 2017, ano de sua estreia na elite do Campeonato Português, levou o plantel à quarta colocação com uma campanha recorde em pontos, sendo 75 com 24 triunfos.

Depois, transferiu-se ao PAOK, da Grécia, e obteve o vice-campeonato nacional em 2019/2020, garantindo vaga para a fase eliminatória da Liga dos Campeões da Europa, quando eliminou o Benfica do ex-técnico flamenguista Jorge Jesus.

Para Rafael Soares, do Jornal Record, Abel não se tornou conhecido em sua terra natal somente após chegar ao Verdão, apesar do notório maior reconhecimento. Segundo o jornalista, o português já havia sido notado pelos trabalhos anteriores.

TABELA

> Clique e confira a tabela completa e simulador do Brasileirão!

- Bem, eu não diria que o Abel se tornou conhecido ao ir para o Brasil. Teve, sim, um reconhecimento maior. Isso é perfeitamente natural, tendo em conta aquilo que tem conquistado ao serviço do Palmeiras, com especial destaque para as duas Taças Libertadores. Mas, veja, o Abel já tinha feito um trabalho competente no Sporting Braga, que é o quarto maior clube em Portugal - disse Soares, antes de completar:

- Nas duas épocas completas que realizou, ficou sempre no quarto lugar com alguma proximidade ao terceiro lugar. No PAOK, acabou por fazer um trabalho competente. Não foi campeão, porque o Olympiacos apresentou-se muito forte, e ficou em segundo lugar. Acabou por nunca conseguir jogar a fase de grupos da Liga dos Campeões, ainda que tivesse eliminado o Benfica, de Jorge Jesus, numa pré-eliminatória - completou o jornalista português.

Ainda de acordo com Rafael, a sequência de reconhecimentos que Abel Ferreira vem tendo em sua passagem pelo Verdão faz com que o futebol brasileiro volte a ser valorizado em outros países, assim como os outros treinadores conterrâneos que comandam times no Brasil.

- Isso tudo torna-se mais curioso depois de Jorge Jesus ter dito que dificilmente um treinador português voltaria a vencer a Libertadores após a conquista no Flamengo. De resto, o futebol brasileiro também é cada vez mais seguido em Portugal graças ao fluxo de treinadores portugueses que aí estão. Além de Abel, estão Vítor Pereira, Luís Castro e Paulo Sousa e acabamos por dar um maior destaque na mídia. Tem sido um trabalho bem sucedido e não me surpreenderia se viesse a ser associado a um grande português, no futuro, caso a sua vontade passe por voltar ao seu país - ressaltou.

GUIA DA LIBERTADORES

> Análise dos adversários, onde assistir e tudo sobre o Verdão

Para receber o prêmio de melhor treinador português fora de Portugal, Abel teve como feitos destacados o bicampeonato da Libertadores no fim de 2021, além das conquistas da Recopa Sul-Americana e do Paulistão na atual temporada.

- O prêmio que ele venceu foi entregue pelo CNID, a Associação de Jornalistas de Desporto. Isso acaba por ter um relevo interessante, tendo em conta os portugueses que estão a treinar lá fora. O evento distingue os melhores do esporte e também os profissionais da área do jornalismo - concluiu Rafael Soares ao explicar a premiação.

O comentarista esportivo Pedro Henriques, do SPORT TV de Portugal, por sua vez, acredita que o sucesso de Abel Ferreira foi algo meteórico. Para ele, o treinador não é ‘tão querido no país, mas hoje é sim muito respeitado’.

- Quem acompanhou o trabalho na formação do Sporting e no Braga percebeu que tinha potencial, mas não tinha e nem tem um lobby para o empurrar para cima, teve de ser a pulso e só no Brasil explodiu. Ele não me parece ser muito querido, mas é muito respeitado pelo que conseguiu no Palmeiras, com muito menos recursos que teve Jorge Jesus, e está a fazer um trabalho sensacional. Algumas pessoas duvidam se, com mais recursos, poderia jogar de outra forma e ser mais dominador, com uma forma de jogar que encante. Eu penso que sim, e que merece essa oportunidade - disse.

Se Soares exalta o mais novo ‘troféu’ recebido pelo treinador do Palmeiras, Henriques faz questão de reforçar a ideia de que a importância do trabalho executado em menos de dois anos é maior.

- Como disse antes, o Abel é humilde, não faz network, não tem lobby forte e como tal as suas conquistas são sempre valiosas. A importância do prêmio é, para mim, reduzida. O que importa mesmo é o trabalho que ele está a fazer, que é ótimo, mas claro que o prêmio é merecido - finalizou o comentarista da SPORT TV.

Diante de tantos prêmios, Abel Ferreira renovou seu contrato com o Palmeiras neste ano, e a nova validade do acordo é dezembro de 2024. Ídolo da torcida e já entre os maiores treinadores do clube, o português terá em breve sua família morando no Brasil para que assim, quem sabe, siga mantendo o Alviverde no topo do futebol e seja cada vez mais reconhecido pela história.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos