Tite fala sobre 'dívida' com o Atlético-MG e comenta sobre Arana na Copa do Mundo

Tite concedeu entrevista para a Rádio Itatiaia - (Foto: Lucas Figueiredo / CBF)


O técnico Tite concedeu entrevista para a Rádio Itatiaia na última quinta-feira, em que falou sobre uma dívida com o Atlético-MG, desconversou sobre a possibilidade de assumir o time em 2023 e comentou sobre as chances de Guilherme Arana ir para a Copa do Mundo no Catar.

Quando fala em dívida, Tite se refere à temporada de 2005, ano em que iniciou como técnico no Atlético-MG, mas que culminou no único rebaixamento da história do clube.

- Tenho uma dívida de gratidão com o clube, mas foi um momento que deixou o torcedor bastante machucado. Tenho plena consciência. É uma dificuldade por ter tido um passado que não foi exitoso. O atleticano quer o Cuca; um cara que ganhou e que é identificado. Não estou dizendo que não, mas sei que é natural ter uma rejeição. Melhorei e busquei estudar, também em função daquele momento, que eu gostaria que fosse de outra forma. - expressou o técnico da Seleção Brasileira.

Ainda sobre uma possível chance de assumir o Atlético-MG em 2023, Tite não negou completamente a possibilidade, mas deixou claro que não irá conversar com nenhum clube enquanto estiver na Seleção Brasileira.

- Talvez (retorne para o Galo), não dá pra dizer amanhã, dessa forma, não dá pra dizer que sim nem que não. Só dá para dizer que eu não converso com ninguém enquanto eu estiver na seleção brasileira, por respeito ao meu trabalho. - disse o treinador.

Guilherme Arana na Copa do Mundo

Tite também comentou sobre a possibilidade de Guilherme Arana, lateral do Atlético-MG, estar presente na lista de convocados para a Copa do Mundo. O treinador relembrou uma história quando treinava o jogador ainda no Corinthians, e disse que o lateral está "credenciado" para ir à Copa.

- Tenho toda uma história com Arana. Mas, mais do que a história, a pessoa e o perfil, tem o desempenho da equipe, do Atlético, e do individual, que tem o credenciado a ser chamado. - disse o treinador.

- Para quem não sabe, ele estreou em um jogo importante de título em 2015, depois se manteve no time (Corinthians). Estávamos vencendo por 2 a 0 e ele teve uma falha logo no início do jogo; há um empate do Sport e a primeira coisa que o Renato Augusto faz, quando a bola volta a rolar, é tocar nele. Nisso há um simbolismo muito grande de senso de equipe, mostrando que todos confiavam naquele garoto. Em seguida, ele faz a jogada que gera um pênalti e o nosso gol da vitória", relembra Tite.