Tite conta fator que o fez permanecer após 2018 e comenta importância do ciclo completo até o Qatar

Tite falou sobre a importância do ciclo completo até a Copa (Foto: Reprodução/CBF TV)


Técnico da Seleção Brasileira, Tite participou do programa 'Bem, Amigos', desta segunda-feira. Durante o papo, o treinador falou sobre a derrota contra a Bélgica, há quatro anos, e revelou que o desempenho da equipe naquela partida o fez permanecer no cargo após o Mundial da Rússia.

+ VÍDEO: Renzo Gracie imobiliza agressor após ser atacado por falar português no metrô dos EUA

- Eu só estou na Seleção Brasileira por causa da performance contra a Bélgica. Se a gente não tivesse jogado nada não ia ter pedido para continuar. Não ia ter condição de falar que estava desenvolvendo um trabalho. O desempenho naquele jogo também alavancou para que eu chegasse aqui - disse Tite.

Tite assumiu o comando da Seleção Brasileira em 2016, dois anos antes da Copa da Rússia. Desta vez, o treinador fez o 'ciclo completo' de um Mundial para outro e falou sobre a importância de permanecer durante os últimos quatro anos no cargo.

+ Eric Faria dispara contra críticas da torcida do Flamengo a Dorival: 'A língua é o chicote do corpo'

- Esse ciclo completo pôde mostrar oscilação, derrotas, desempenho abaixo do esperado. Ganhamos a Copa América, mas faltava uma criatividade e ofensividade maior. Veio uma geração, nesse um ano e meio depois, de pontas agressivos, arrojados, da finta e do lance que desequilibra o adversário - comentou Tite.

Além de Tite, quem também participou da conversa foram Galvão Bueno, Cléber Machado, Júnior, Marco Antônio Rodrigues, Caio Ribeiro e o coordenador da Seleção, Juninho Paulista. O ex-meia falou sobre a conversa com o restante da comissão técnica sobre os jogadores da equipe.

+ Chumbo trocado? Totti desabafa após separação da esposa: 'Não fui o primeiro a trair'

- A gente tem essa conversa todo dia. Esse núcleo trabalha duro, não só com nome de jogadores, mas com possibilidade de jogo, formação. Quando a gente está em campo, não temos essa noção, mas a gente vai aprendendo. A comissão já era excelente e eu e o César (Sampaio), chegamos para somar - disse Juninho.