Tite cita dúvidas e diz que grupo não está fechado para Copa do Mundo

Tite falou sobre formas de jogo na Copa do Mundo (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)


A menos de 100 dias para o início da Copa do Mundo, a Seleção Brasileira ainda não está definida para viajar ao Qatar. E quem garante isso é o técnico Tite. Em entrevista à "TV Globo", o comandante afirmou que ainda pensa em como montar a equipe e explicou como pretende distribuir as vagas.


- (Perguntam) Se a lista está fechada. E, verdadeiramente, não está. Pela experiência, pelo nível de atletas, concorrência... Estamos acompanhando legal. Tem (dúvidas). Não é ser simpático e proforma. É porque não está (fechada) mesmo. Comentamos a competição dos atletas, o Cleber falou especificamente do Pedro - afirmou Tite.

+ Veja a tabela e os grupos da Copa do Mundo de 2022


Auxiliar de Tite, Cleber Xavier também participou da entrevista e explicou como a comissão técnica está lidando com a briga por vaga.

- Não fechamos a lista. Em todos os setores. A gente trabalha com três ou quatro jogadores por posição para não ficar na mão, na dúvida, por situação de lesão, de perda. Por isso não está fechado - disse Cleber Xavier, que completou:

- Na frente, são as características dos atletas, têm muitos com característica diferente, externo, um contra um, atacante pivô que faz sustentação e agride espaço, meio-campista que vai entrelinhas, que dê ritmo... Ter todos os atletas e o mais importante é que todos se sintam pertencentes ao processo. Isso que mantemos relações fora das convocações. Têm jogadores que não vêm há duas ou três convocações e podem aparecer agora. Estamos acompanhando e inclusive mantendo contato - concluiu.

+ Casemiro na mira de gigante inglês: veja brasileiros que ainda podem mudar de clube na Europa

Em junho, a Fifa aprovou a mudança no número de convocados para o Mundial, passando de 23 para 26 jogadores. E o treinador da Seleção Brasileira não ficou em cima do muro ao dizer quais posições pretende privilegiar: meio-campo e ataque.

- Predominantemente no setor criativo ofensivo com características diferentes, únicas, que possam proporcionar um arsenal estratégico maior - declarou o treinador, que já havia citado sua preferência na última convocação da Seleção - frisou.