Tenista doará 100 euros à Ucrânia a cada ace em Wimbledon

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Hubert Hurkacz prometeu 100 euros a cada ponto conquistado no saque em Wimbledon. Foto Glyn Kirk/AFP via Getty Images
Hubert Hurkacz prometeu 100 euros a cada ponto conquistado no saque em Wimbledon. Foto Glyn Kirk/AFP via Getty Images

O polonês Hubert Hurkacz, semifinalista em Wimbledon no ano passado, anunciou que doará 100 euros para a Ucrânia por cada craque que acertar no Grand Slam de Londres deste ano.

Hurkacz, que derrotou Roger Federer nas quartas de final do ano passado, chega a Wimbledon como um dos favoritos ao título e chegou à grama sagrada inglesa como o sétimo cabeça de chave.

Leia também:

"Gostaria de anunciar que vou doar 100 euros por cada 'ace' que receber em Wimbledon para ajudar o povo da Ucrânia", disse Hurkacz nas redes sociais. Nesta temporada, o polonês, nas 39 partidas que disputou, marcou um total de 452 aces.

A iniciativa de Hurkacz, que estreia nesta segunda-feira frente ao espanhol Alejandro Davidovich, foi aplaudida pelos seus companheiros ucranianos, como Marta Kostyuk , que aderiu à iniciativa e vai ainda doar 100 euros ao clube de tênis onde treinou na Ucrânia por cada serviço direto.

"Meu coração está com a Ucrânia", escreveu ele no Instagram em fevereiro, legendando uma foto sua no Dubai Duty Free Tennis Championships e uma foto das bandeiras ucraniana e polonesa erguidas lado a lado na multidão.

O jogador de 25 anos chega a Londres animado por conquistar seu primeiro título do ano, seu primeiro na grama, na semana passada no Terra Wortmann Open, depois de derrotar o número 1 do mundo Daniil Medvedev por 6-1 e 6-4 na decisão.

Vale lembrar que o Grand Slam de Wimbledon proibiu a participação de tenistas russos e bielorrussos este ano para evitar desculpas pelo regime de Vladimir Putin. O fato acabou fazendo com que a ATP e a WTA decidissem não conceder pontos para os rankings masculino e feminino durante a competição.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos