Tchê Tchê revela ter sofrido depressão no São Paulo e destaca nova fase no Botafogo

Volante chegou ao Glorioso em abril deste ano (Foto: Vítor Silva/Botafogo)


Tchê Tchê vivenciou momentos marcantes dentro do futebol. Durante um texto publicado no "The Players´Tribune", o volante do Botafogo relembrou o início da carreira, revelou ter sofrido depressão na época que atuava pelo São Paulo e destacou sua nova fase no Glorioso.

+ Tem novidades! Veja a convocação da Seleção Brasileira para os amistosos contra Gana e Tunísia

- Jogar bola me aquecia, me fazia ser parte de alguma coisa, eu via que existia um lugar no mundo pra mim. Mesmo tendo sido meio grosso quando criança. Depois, na base do esforço e da teimosia, da repetição, eu evoluí como jogador. Mas na infância, quando comecei a jogar, eu era horroroso - brincou Tchê Tchê.

- No começo da minha passagem pelo São Paulo, eu levantava de manhã pra ir treinar, mas não tinha vontade. Nem de treinar, nem de jogar, tá ligado? Fui ficando sem ânimo para fazer as coisas, não queria sair de casa. O sofá e o colchão da cama me sugavam como se fossem areia movediça. Eu só afundava e chorava. Chorava o tempo todo. Mas a minha vida estava toda certinha, eu tinha tudo que precisava. De onde vinha aquele sofrimento? Meu Deus do céu! - revelou Tchê Tchê.

+ Loco Abreu 'invade' treino do Botafogo e convoca alvinegros para Nilton Santos: 'Preciso de vocês'

- Hoje eu estou bem. Muito bem, graças a Deus. Agora no Botafogo, sou de novo a melhor versão de mim. Sei disso porque cheguei com sede de aprender, de me tornar um jogador mais completo, de continuar sendo o cara que carrega o piano para os companheiros tocarem. O guerreirinho de sempre, que, se precisar, vai correr pelos outros. É assim que eu sou feliz no futebol - afirmou o volante.

Tchê Tchê chegou ao Botafogo em abril e vem sendo muito utilizado por Luís Castro. O clube desembolsou cerca de R$5 milhões pelo volante, que possui contrato até 2024 e espera construir uma história vitoriosa no futebol carioca.