Seleção feminina conta com boa fase de Natinha para o duelo contra Porto Rico pelo Mundial

Natinha ao lago de Gabi durante o Campeonato Mundial (Divulgação/FIVB)


Na vitória do Brasil sobre a Itália na última rodada por 3 sets a 2, a líbero Natinha teve grande atuação tanto no passe como na defesa. Ela subiu muitas bolas de uma das melhores atacantes do mundo, a oposta italiana Paola Egonu, e mostrou segurança no fundo de quadra. Titular desde o jogo com a Argentina, Natinha, de 25 anos, disputa seu primeiro Campeonato Mundial adulto. A seleção feminina conta com a boa fase de Natinha para o confronto desta quinta-feira contra Porto Rico, às 11h (de Brasília).

+ Justiça da Itália pede extradição de Robinho: veja frases impactantes de interceptações telefônicas feitas

– Estou muito feliz pelo o que a equipe conseguiu apresentar contra a Itália. Tivemos muita organização tática e a nossa energia foi incrível. Todas estavam ligadas no que tínhamos que fazer a todo momento no jogo. A partida contra a Itália foi muito emocionante e a sensação ter ajudado o time, ainda mais dentro de quadra, é algo que vou levar para toda a minha carreira – afirmou Natinha.

A líbero pediu concentração total para o jogo contra Porto Rico.

– Temos que estar ligadas porque ainda tem muito campeonato pela frente, não tem nada ganho e vamos precisar entrar em todo o jogo como se fosse uma final. Sabemos que vai ser um jogo difícil porque elas deram bastante trabalho para a maioria dos adversários. Vamos precisar ter muita atenção na parte tática, além de forçar o nosso saque – disse.

+ Lenda da Seleção Brasileira de Vôlei, Fabi fala sobre Mundial 2022: 'Geração extremamente promissora'

O treinador José Roberto Guimarães elogiou o próximo adversário das brasileiras no Campeonato Mundial.

– Porto Rico se classificou para essa fase e vamos precisar tomar muito cuidado. Algumas jogadoras jogam na Europa e é um time que tem muito volume de jogo. Elas têm um sistema defensivo interessante e um saque agressivo. Não vamos poder nos descuidar em nenhum momento. Elas incomodaram a Itália e vamos precisar de muita atenção para buscar o melhor resultado possível. Todos os dias vamos jogar uma final – explicou o técnico.

A seleção feminina está no grupo E da segunda fase do Mundial ao lado de China, Japão, Argentina, Itália, Bélgica, Holanda e Porto Rico. As quatro equipes de melhor campanha no grupo, contando os resultados da primeira fase, avançam para as quartas de final. A equipe do treinador José Roberto Guimarães aparece em terceiro lugar, com 14 pontos (cinco vitórias e uma derrota). A Itália lidera, com 19 pontos, seguida pelo Japão, com 15.

O Brasil disputa o Mundial feminino com as levantadoras Macris e Roberta, as opostas Kisy e Lorenne, as ponteiras Gabi, Rosamaria, Pri Daroit e Tainara, as centrais Carol, Carol Gattaz, Julia Kudiess e Lorena, as líberos Nyeme e Natinha.

A partida contra Porto Rico terá transmissão do Sportv2.