Sapatilhas de campeão mundial Alison dos Santos podem ir a leilão

Sapatilhas, que foram presente da patrocinadora de Alison, ficaram retidas no Aeroporto do Galeão.
Sapatilhas, que foram presente da patrocinadora de Alison, ficaram retidas no Aeroporto do Galeão. Foto: (Sam Barnes/Sportsfile via Getty Images)

Campeão mundial dos 400m com obstáculos na última semana, Alison dos Santos voltou ao Brasil com a medalha de ouro trazida de Oregon, mas um presente dado por sua patrocinadora, ganho em Eugene, nos Estados Unidos, ficou retido pela Polícia Federal no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Cinco pares de sapatilhas do atleta, que chegaram apenas na última quarta-feira ao Brasil, não tiveram sua entrada permitida no país.

Como estava há mais de quatro meses fora do Brasil, Alison carregava muitas bagagens e, por isso, trouxe apenas uma parte de seu material esportivo. O que ganhou da Adidas nos Estados Unidos ficou com João Barretto, assessor de imprensa e repórter do Canal Olímpico do Brasil. João, quando passou pela Alfândega, não teve liberação para passar com as peças da patrocinadora de Alison e teve de deixá-las lá, como relatou em seu perfil oficial no Twitter: "Eu levando as sapatilhas novas que o Piu (apelido de Alison) ganhou da Adidas = tudo retido na alfândega. Pra quem quiser daqui a 30 dias vai a leilão. Eu nunca passei tanto perrengue em 01 única viagem".

Leia também:

Uma taxa foi imposta pela Polícia Federal para que João ingressasse no Brasil com as sapatilhas, aproximadamente 150 dólares, cerca de R$ 750 na cotação atual, por cada calçado. O valor foi estipulado pelas autoridades como o de uma sapatilha semelhante ao presente recebido por Alison.

Os materiais ficarão retidos e serão colocados à leilão caso o valor não seja pago nos próximos dias. Alison dos Santos ainda não se manifestou sobre o caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos