São Paulo precisa melhorar estatística preocupante no ataque para se recuperar no Brasileirão


Com a eliminação recente na Copa do Brasil, ao ser derrotado pelo Flamengo no Maracanã na última quarta-feira (14), uma nova necessidade - até então não tão priorizada - voltou a assolar o São Paulo: a obrigação de se reerguer no Campeonato Brasileiro e se afastar de uma zona de perigo que se aproxima cada vez mais da equipe. Para isso, urge a exigência de reverter algumas estatísticas que preocupam - principalmente ao falar do ataque.

> Quem do Reffis pode jogar a final da Copa Sul-Americana? Veja situação dos lesionados do São Paulo

Um dos pontos que mais chama atenção é a diferença quase mínima do número de gols marcados e sofridos. Em 26 partidas disputadas na competição, o São Paulo balançou as redes 33 vezes, mas foi vazado 31. Isso tudo em seis vitórias, 13 empates e sete derrotas. Nesse levantamento, é possível fazer uma comparação com o atual líder da competição. O Palmeiras - que conta com 54 pontos - tem mais que o dobro de gols marcados em relação aos sofridos (43 contra 19).

-> AO VIVO E DE GRAÇA: LANCE! vai transmitir ao vivo e de graça jogos da Bundesliga a partir deste sábado. Confira todas as informações sobre o torneio e transmissão aqui.

Muito disso se explica com dados referentes a finalizações. Segundo o FootStats, das 326 finalizações do Tricolor no torneio neste ano, 209 falharam. Na Copa do Brasil, algo parecido aconteceu contra o Flamengo. No duelo de volta, a equipe de Rogério Ceni finalizou 40 vezes. Já a de Dorival Júnior, que venceu por 1 a 0, apenas 15.

Além disso, o Tricolor paulista é o time com mais cruzamentos no Campeonato Brasileiro, com 618 no total (sendo 458 errados e 160 realizados com êxito). Ou seja, mesmo que o time cruze bastante na área, pouco converte em oportunidades.

A preocupação surge quando é avaliada a situação do clube do Morumbi na tabela. Como dito antes, conta com poucas vitórias. Até o momento, soma 31 pontos e ocupa a 13ª colocação. Porém, não muito distante, se encontra o Cuiabá - com apenas cinco pontos a menos - e localizado no Z4.

Além das estatísticas numéricas, a situação de alguns nomes da equipe emerge. Calleri - artilheiro do time na temporada - enfrenta seu maior jejum de gols deste ano. Sem marcar há quase um mês, este período atípico chegou a afetar, inclusive, o número de vezes que o Tricolor balançou as redes nos últimos jogos como um todo. A última vez que o argentino marcou foi contra o Red Bull Bragantino, justamente na última vitória do São Paulo no Brasileirão.

Mesmo que as copas - tanto do Brasil quanto Sul-Americana - tenham sido vistas como prioridade, Rogério Ceni já destacou que pretende usar força máxima para se recuperar na maior competição nacional. De acordo com o treinador, é importante visar e preservar seu elenco para a final da Copa Sul-Americana, que acontece dia primeiro de outubro contra o Independiente Del Valle, mas que o Brasileirão não pode mais ser deixado em segundo plano.

- A opção de no fim de semana ter que jogar com um time totalmente novo foi para tentar igualar essa parte física. Nós vamos analisar, com esse dia a mais que temos. Nós precisamos do resultado. É um confronto direto, entre duas equipes com a mesma pontuação. Temos que visar ao jogo do dia 1, mas não podemos nos dar ao luxo de perder pontos no Brasileiro. Nós temos que tentar o melhor que temos, na parte física e técnica. Enquanto o Del Valle tem um jogo só, no dia 17, nós ainda temos esses dois jogos. É puxado, mas não podemos largar. Chegamos a um ponto em que não dá mais para deixar o Brasileiro para depois. - destacou o treinador.

Neste domingo (18), o São Paulo enfrenta o Ceará, às 16h, na Arena Castelão. Se vencer, chega aos 34 pontos e se aproxima dos dez primeiros colocados. Se for derrotado, a situação complica mais ainda - ainda mais se algum lanterna conseguir recuperar os pontos perdidos.