Rússia quer punição ao técnico da Ucrânia por falas sobre guerra

Oleksandr Petrakov esteve perto de levar a Ucrânia à Copa do Catar mas parou no País de Gales. Foto: Oksana Vasylieva/Stanislav Vedmid/DeFodi Images via Getty Images
Oleksandr Petrakov esteve perto de levar a Ucrânia à Copa do Catar mas parou no País de Gales. Foto: Oksana Vasylieva/Stanislav Vedmid/DeFodi Images via Getty Images

A Rússia está pedindo à Uefa o banimento do técnico da seleção masculina da Ucrânia do futebol depois que ele expressou o desejo de lutar contra as forças invasoras de Vladimir Putin.

A União de Futebol da Rússia escreveu ao órgão dirigente acusando Oleksandr Petrakov de discriminar os russos e de não se manter politicamente neutro.

Leia também:

Denis Rogachev, vice-secretário-geral da entidade, citou comentários veiculados em dois jornais – Corriere dello Sport da Itália e Sport Express da Rússia – como prova da culpa de Petrakov.

Em uma carta ao órgão de controle, ética e disciplina da Uefa, Petrakov é acusado de violar códigos de conduta ao pedir que os russos sejam banidos do esporte internacional e falar sobre suas esperanças de ingressar nas Forças Armadas.

Os últimos comentários foram feitos pela primeira vez por Petrakov em uma entrevista em abril ao Guardian. Eles foram posteriormente apanhados pelo Corriere dello Sport.

"Pensei que, se eles vierem a Kiev, pegarei uma arma e defenderei minha cidade", disse Petrakov. “Tenho 64 anos, mas senti que era normal fazer isso. Acho que poderia derrotar dois ou três inimigos.”

Petrakov, agora com 65 anos, disse na entrevista, que aconteceu em Kiev no auge dos combates, que havia falado com um membro do governo da Ucrânia logo após a invasão da Rússia sobre se juntar à defesa territorial. Ele foi informado de que sua idade e falta de experiência militar o tornavam imprudente.

A Federação Russa alega que os comentários de Petrakov violam os códigos da Fifa e da Uefa que proíbem “discriminação de qualquer tipo contra um país” e buscam promover o futebol “com espírito de paz”.

Um porta-voz da Associação Ucraniana de Futebol disse: “Quando seu país foi atacado por invasores desumanos, [Petrakov] estava pronto para defender sua terra, suas mulheres e filhos.

Petrakov foi elogiado em junho por sua conduta na Grã-Bretanha, quando seu time acabou com as esperanças da Escócia de se classificar para a Copa do Mundo em Hampden Park, antes de perder em Cardiff para o País de Gales.

Vale lembrar que ss clubes de futebol russos e as seleções nacionais foram suspensos de todas as competições pela Fifa e pela Uefa, mas a proibição não abrange jogadores individuais.

Um porta-voz da Uefa disse: “Não podemos comentar casos individuais. Quando as reclamações são recebidas, elas são tratadas de acordo com as disposições do regulamento disciplinar. Não temos mais informações para fornecer nesta fase.”

Petrakov foi elogiado pelo presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, depois de levar a Ucrânia à vitória na Copa do Mundo Sub-20 de 2019.

O técnico da seleção, que substituiu o ex-atacante do Chelsea Andriy Shevchenko em agosto de 2021, ficou perturbado depois de perder em Cardiff, mas agradeceu ao povo galês pelo apoio e desejou boa sorte ao País de Gales na Copa do Mundo.