Roger planeja interromper a carreira para aprimorar estudos

Roger Machado revelou que pretende cursar outra graduação para
Roger Machado revelou que pretende cursar outra graduação para "manter a cabeça funcionando". Foto: (SILVIO AVILA/AFP via Getty Images)

Comandando o Grêmio de forma titular pela segunda vez em sua carreira, o técnico Roger Machado, aos 47 anos de idade, revelou que pretende dar uma pausa do trabalho como treinador de futebol para que possa aprimorar seus estudos em uma nova graduação.

Ao conceder uma longa entrevista para o projeto Abre Aspas do ge, o comandante do tricolor gaúcho comentou sobre diversos temas, desde seus posicionamentos referentes às causas sociais que lhe afetam até o seu futuro como profissional. Ao falar sobre a nova graduação, Roger deixou três possíveis opções de curso como rumo: "Quero muito voltar para a academia, fazer outra formação. Ou fazer Ciências Sociais, ou Psicologia Social, ou Direito. (...) Preciso manter minha cabeça funcionando. Para funcionar, é aprender outra questão. E quero aproveitar para aprofundar meus conhecimentos, algo de que eu já gosto naturalmente, que são essas questões sociais, essas relações sociais, como acontece todo esse movimento dos grupos sociais".

Leia também:

Ao ser questionado sobre seu envolvimento na luta contra o racismo, Roger disse que o esporte fez com que ele fosse aceito em diversos ambientes: "Me tornar jogador de futebol me deixou mais branco. Fui aceito com mais naturalidade para circular em ambientes diferentes, pela força do esporte. O sistema, por vezes, se adapta, permite que alguém passe pela fresta da porta, justamente para validar o discurso de que há oportunidades. Mas eu não nasci jogador de futebol. Sou cidadão antes. Tenho o direito de me manifestar sobre os assuntos que me tocam, que eu acredito poder falar".

Tido como um dos grandes nomes da nova geração de treinadores formados no Brasil, Roger disse que gostaria de ver brasileiros no comando da Seleção: "Nos últimos anos, temos visto o Abel com um protagonismo nas competições continentais, mas tem alternado. O Felipão foi campeão brasileiro com o Palmeiras e está disputando a semifinal (da Libertadores) com o Athletico. O Cuca foi campeão brasileiro ano passado com o Atlético-MG. O Renato foi campeão da Libertadores e da Copa do Brasil recentemente. O intercâmbio é válido, porque a gente se confronta com culturas diferentes, e isso é bom, mas também prova que a gente está no mesmo nível dos outros".