Rivaldo comenta sobre os 25 anos de sua chegada ao Barcelona

Rivaldo em ação pelo Barcelona (Foto: Reprodução/Instagram)


Horas antes do início de uma partida decisiva pelo La Coruña, Rivaldo recebeu uma ligação de um empresário do mundo do futebol dizendo que havia uma oferta do Barcelona na sua mesa, o objetivo do time catalão era achar um substituto para Ronaldo, que acabava de se transferir para a Inter de Milão.

25 anos depois, Rivaldo, embaixador da Betfair, Rivaldo, analisou como foi a sua chegada ao Barcelona, clube que defendeu por cinco anos, onde conquistou dois Campeonatos espanhóis, uma Copa do Rei, a artilharia da Liga dos Campeões em 99/2000 e o título de melhor jogador do mundo, em 1999. Confira o bate-papo com o craque, sobre a decisão que mudou toda sua carreira no futebol.

- Essa semana se completam 25 anos da minha chegada ao Barcelona. Eu lembro esse dia como algo bem confuso e muito rápido, eu estava muito feliz e decidido a continuar no La Coruña por mais uma temporada, porém, fui contatado por um empresário num dia em que disputamos a final do Torneio Teresa Herrera com o objetivo de eu fazer minhas exigências para assinar com o Barcelona. Uma hora depois disso, me disseram que o Barcelona tinha aceitado e que precisava assinar o compromisso - declarou Rivaldo.

+ No Liverpool, Arthur tem chance de 'virar a chave' em um clube gigante da Europa

Pelo La Coruña, Rivaldo marcou 21 gols em 41 partidas na La Liga, ajudando o modesto clube da região da Galícia que sempre brigava pelo meio de tabela, finalizando na quarta colocação do Espanhol. O craque comentou que estava preparado para a final de um torneio pelo La Coruña, iniciando sua segunda temporada pelo clube quando tudo aconteceu.

- Quando fui jogar pelo La Coruña contra o PSV nesse dia, a torcida já sabia que eu iria deixar o clube e até me vaiou. Acabou sendo um dia muito difícil para mim, porém o futuro viria a confirmar que tomei a melhor decisão de assinar por um grande clube como o Barcelona - afirmou Rivaldo à Betfair.

+ Fulham oficializa a chegada de Willian, ex-Corinthians

- No dia seguinte, cheguei no Barcelona um pouco tímido e com a responsabilidade de substituir o Ronaldo que tinha saído para a Inter de Milão, embora eu sempre tenha afirmado que não era um jogador igual ao Ronaldo - continuou.

- Ele era um número 9, que fazia muitos gols, e eu era mais um meia atacante que dava muitas assistências e tinha boa chegada no gol, porém não marcava tantos. Felizmente, a torcida do Barça entendeu isso, e as coisas foram muito especiais para mim. Consegui bons passes para gols e gols importantes para o time, e tudo isso acabou sendo um período muito feliz em minha carreira que jamais esquecerei - concluiu.