Retirar Mônaco de calendário seria um erro para Fórmula 1, diz Ecclestone

Bernie Ecclestone durante Grande Prêmio da Rússia, em Sochi

Por Alan Baldwin

MÔNACO (Reuters) - A Fórmula 1 estaria fazendo um movimento errado se retirasse o GP de Mônaco do calendário, disse o ex-chefe comercial da categoria Bernie Ecclestone nesta sexta-feira.

O principado do Mediterrâneo está em negociações contratuais em meio a muitos debates sobre o futuro da corrida em um calendário lotado que deve se expandir para outros locais atraentes, como Las Vegas.

Houve especulações de que a corrida, parte do esporte desde a primeira temporada no campeonato mundial em 1950, poderia ocorrer em anos alternados.

"Acho que ninguém tem coragem de tirar essa corrida de Mônaco", afirmou Ecclestone à Reuters.

Ele disse que conversou com o presidente do Automobile Club de Monaco, Michel Boeri, na quinta-feira.

"Eles ainda estão super, super felizes e confiantes com tudo sem nenhum drama. Então não vejo nenhum problema nisso", acrescentou.

Ecclestone disse que seria um erro tornar a corrida bienal.

"Seja a pior corrida ou a melhor corrida ou qualquer outra coisa, são as joias da coroa", afirmou.

Ecclestone, que durante décadas elaborou o calendário e introduziu novas corridas na categoria, disse que ouvia regularmente os promotores explicarem como eles fariam as coisas melhor do que Mônaco.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos