Respeitado shaper brasileiro dá dicas de pranchas para quem quer iniciar no surfe

Márcio Reis é um artista das pranchas (Foto: Arquivo Pessoal)


Em alta no Brasil por conta da geração vencedora composta por atletas como Gabriel Medina, Ítalo Ferreira e Filipe Toledo, chamada "Brazilian Storm" (Tempestade Brasileira, em português), o surfe é uma atividade física bastante rica em benefícios. Sua prática auxilia desde o fortalecimento muscular, passando pela melhora dos sistemas cardiovascular e respiratório, do equilíbrio, do reflexo, até a saúde mental.

Com mais de 30 anos dedicados ao surfe, o shaper paulista Márcio Reis é testemunha ocular do impacto do surfe na vida de milhares de pessoas. Com mais de 30 mil pranchas produzidas em sua oficina, cada uma diferente da outra, ele já viu de perto o esporte polinésio mudar a vida de muita gente para melhor.

"O surfe muda a rotina das pessoas, faz elas adotarem um novo estilo de vida. Isso vai desde a reeducação alimentar, até dormir e acordar mais cedo, ter disposição e tranquilidade para viver a vida de forma mais leve. Prova disso é que assim que você sai do mar, o seu desejo é beber uma água e comer um alimento saudável", destaca o fundador da Tatui Brasil Surfboards.

"Quem teve o privilégio de começar no surfe ou acompanhar quem começou nota rapidamente uma melhora no aspecto físico, que vai desde perda de gordura até o ganho de massa. A mente também é beneficiada. A prática do surfe funciona como uma espécie de desintoxicação das atribulações diárias da casa ou do trabalho", completa.

Um dos shapers brasileiros mais respeitados do mundo, Márcio Reis constrói pranchas exclusivas para seus clientes, que vão desde amadores iniciantes a profissionais vitoriosos. Inclusive, suas produções são consideradas verdadeiras obras de artes tamanho beleza e também por serem únicas.

"É uma obra de arte em forma de prancha a qual a pessoa pode pendurar na parede da sala da casa, como um quadro, para uma exposição, feita por um verdadeiro artista", explica o shaper, que também já formou diversos outros shapers através de cursos.

Márcio Reis conta que o maior público do surfe hoje é formado por simpatizantes e iniciantes. Aos que estão interessados a experimentar a modalidade, que em países da Europa é até receitado por médicos como terapia, é importante ter o acompanhamento de um professor e também saber escolher a prancha certa.

"Quem está começando no surfe tem que utilizar pranchas largas, com bastante volume, flutuação, porque, nesse primeiro momento, o grande desafio é se equilibrar. Portanto, pranchas como longboard, funboard e fish são as mais usadas nesses casos", explica Márcio Reis.

"Com o desenvolvimento da capacidade de surfar, mas pranchas maiores podem ser trocadas por menores. Entre os profissionais, os modelos de pranchas precisam ser mais variados para dar conta de todas as etapas do circuito, já que cada lugar tem uma condição de onda diferente do outro", lembra.