Renato alfineta sucessor no Grêmio “O que ganhou até hoje?”

Renato Portaluppi disparou contra o técnico Thiago Nunes em entrevista coletiva. Foto: Diego Vara - Pool/Getty Images
Renato Portaluppi disparou contra o técnico Thiago Nunes em entrevista coletiva. Foto: Diego Vara - Pool/Getty Images

Em entrevista concedida na manhã desta terça-feira (27), o técnico do Grêmio, Renato Portaluppi, não gostou de ser questionado sobre a mudança da programação do elenco tricolor no último final de semana.

Diferente do previsto, quando o elenco treinaria no sábado e domingo, os jogadores receberam folga e Renato esteve ausente na atividade de sexta-feira, quando foi ao Rio de Janeiro.

Leia também:

Além do tema, o que deixou o treinador bravo foram declarações de Tiago Nunes, sucessor de Renato no ano passado, que contou que os atletas jogavam futevôlei para buscar uma melhora na preparação física.

“No Grêmio, como em qualquer outro clube, sempre vai haver folga. Tem que criticar todos os clubes então no Brasil, porque todos dão folga. Tem que culpar a CBF pelo calendário. O Tiago Nunes já tinha feito umas críticas e eu me calei. O que o Tiago ganhou até hoje? Muitas vezes no Grêmio os jogadores pediam para eu acabar o treino porque estava muito puxado. Acho que os oito títulos que ganhei aqui foi jogando futevôlei. Ele esteve três meses no Ceará e Corinthians. Não tinha futevôlei, então”, disparou.

“Estou cansado de me calar e ouvir coisas mentirosas. Cada um tem o direito de falar o que bem entender, mas tem que bancar. Por que ele (Tiago Nunes) não falou quando estava aqui? Quando você não consegue as coisas tem que criar desculpas. Toda vez que eu achar que tem que dar folga eu vou dar. Os outros treinadores deram folga também, passaram cinco treinadores por aqui. Eu vou dar folga quando eu achar que tem que dar, mas vou dar títulos também. Muita gente não entende que a folga é necessária”, seguiu.

Outro assunto polêmico foi quando a logística da viagem ao Maranhão, onde o Grêmio enfrenta o Sampaio Corrêa, na próxima sexta. Renato mostrou descontentamento com o planejamento para o deslocamento até o Nordeste.

“Tem gente que falou que sou o presidente porque faço a logística. Faz a logística quem é capacitado, e quem tem que fazer é o treinador, porque ele sabe os horários das refeições, dos voos, do descanso. Nenhum presidente de clube no mundo se mete na logística. Eu sempre fiz a logística e sempre vou fazer. A logística é minha”, explicou.

O Grêmio viaja para o Maranhão no fim da tarde de quarta-feira e chega no local da partida na madrugada de quinta. A partida está marcada para sexta-feira (30), às 19h, no Estádio Castelão.