Queniano Kipchoge vence maratona de Berlim e estabelece novo recorde mundial

BERLIM (Reuters) - O queniano Eliud Kipchoge quebrou seu próprio recorde mundial de maratona neste domingo, vencendo a corrida de Berlim com um tempo de 2m01s09 para cortar meio minuto de seu recorde anterior na capital alemã há quatro anos.

O atleta de 37 anos, que venceu 15 de suas 17 maratonas na carreira, incluindo dois triunfos olímpicos e 10 títulos importantes, ditou um ritmo alucinante ao longo do percurso plano do centro da cidade em um dia nublado para consolidar seu status como maior maratonista de todos os tempos.

"Estou feliz com a minha preparação e acho que fui tão rápido por causa do trabalho em equipe", disse Kipchoge. "Tudo depende do trabalho em equipe.

"Eu planejei sair rápido no primeiro tempo. Pensei em tentar correr rápido. Foi uma performance maravilhosa. Minhas pernas e meu corpo ainda parecem jovens. Mas o mais importante é minha mente, e isso também parece fresco e jovem. Estou muito feliz por quebrar o recorde mundial."

Poucos corredores conseguiram acompanhar seus tempos fracionados de menos de três minutos nos estágios iniciais. Ele gradualmente se livrou do vencedor do ano passado, Guye Adola, mas o também etíope Andamlak Belihu se recusou a ceder, mesmo quando eles fizeram metade da prova em menos de uma hora.

Belihu finalmente recuou em torno da marca de 27 quilômetros, enquanto Kipchoge tentava o recorde.

O queniano, que ficou aquém de sua marca mundial por pouco mais de um minuto na Maratona de Tóquio, em março, desta vez não deixou a oportunidade passar. Depois de desacelerar um pouco, ele ainda acelerou o sprint final de 500 metros.

Passando pelo icônico Portão de Brandemburgo assim que o sol começou a surgir, um radiante Kipchoge cruzou a linha de chegada para estabelecer outro recorde.

Kipchoge é o único homem a correr uma maratona de menos de duas horas quando marcou 1:59.40 em uma pista especialmente projetada em Viena em 2019, mas o tempo não é oficialmente reconhecido, pois não foi definido em competição.

Questionado se ele tentaria uma corrida de menos de duas horas em Berlim no próximo ano, Kipchoge disse: "Vamos planejar outro dia."

"Ainda há mais nas minhas pernas. Minha mente ainda está se movendo, o corpo ainda absorvendo o treinamento."

O também queniano Mark Korir completou uma dobradinha para a nação africana, quatro minutos e 49 segundos atrás.

A etíope Tigist Assefa surpreendeu na prova feminina, vencendo em 2h15min37seg, o terceiro tempo mais rápido da história. A queniana Rosemary Wanjiru ficou em segundo lugar, à frente do etíope Tigist Abayechew.

(Reportagem de Karolos Grohmann)