Qatar promete ser rigoroso com 'afeto' e 'relação sexual' na Copa

Sexo fora do casamento pode render cadeia no Qatar (Foto: DIvulgação/FIFA)


O Qatar promete ser rigoroso com punições aos visitantes que não respeitem as leis durante a Copa do Mundo, que acontecerá entre novembro e dezembro deste ano. Segundo informações do jornal 'Daily Star', encontros sexuais fora do casamento podem render até sete anos de prisão.

- Na verdade, não haverá festa nenhuma. Todos precisam manter a cabeça sobre eles, a menos que queiram correr o risco de ficar presos na prisão. A cultura da bebida e da festa após os jogos, que é a norma na maioria dos lugares, é estritamente proibida - disse uma fonte ao 'Daily Star'.

O sexo fora do casamento é ilegal no país do Oriente Médio. Para evitar problemas, os torcedores que viajarem para o Qatar serão avisados sobre as leis. O país não pretende aliviar, mesmo sendo estrangeiro. Demonstrações de afeto, seja do público hétero ou homossexual, também poderão causar problemas.

No ano passado, o presidente do comitê organizador da Copa do Mundo de 2022 no Qatar, Nasser Al-Khater afirmou que torcedores LGBTQI+ terão o direito de viajar ao país e assistir aos jogos. Porém, ele ressaltou que demonstrações de afeto são mal vistas.

- Eles virão ao Qatar como torcedores e participantes de um torneio de futebol e poderão fazer o que qualquer outro ser humano faria. As demonstrações de afeto são desaprovadas e isso se aplica a todos - afirmou em entrevista à CNN.

+ Real Valladolid divulga novo escudo: veja times que trocaram de símbolo nos últimos dez anos

A Copa do Mundo do Qatar começa no dia 21 de novembro e tem previsão de término no dia 18 de dezembro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos