Do protagonismo em título à perda de espaço: a saga de Chay no Botafogo


História de filme. Quem imaginaria que um jogador que nem tinha jogado futebol em toda a parte da carreira receberia a primeira grande chance aos 30 anos e guiaria uma equipe ao retorno à elite do futebol brasileiro? A saga de Chay com o Botafogo teve um fim, mas o 2021 fica guardado por uma boa crônica.

+ Botafogo quer uruguaio e Chay de despedida: saiba contratações, saídas e sondagens do clube no mercado

O meio-campista tem acordo encaminhado para defender o Bahia por empréstimo até o fim da Série B e não deve mais atuar pelo Glorioso. Se o 2021 foi de boas lembranças, a atual temporada é irregular: Chay não se encaixou no estilo de jogo de Luís Castro e perdeu vaga no time titular.

A chegada de Chay foi cercada de incertezas. Mesmo tendo sido um dos destaques do Carioca de 2021 pela Portuguesa, ele não inspirou confiança da totalidade da torcida justamente pelo passado no esporte: chegou a jogar futebol de sete por um tempo e deixar os gramados.

A desconfiança logo passou. Chay chegou com tudo: dois gols e duas assistências nas primeiras quatro partidas pelo Glorioso. Com a chegada de Enderson Moreira e a boa fase do time, o começo de uma parceria com Rafael Navarro que se tornaria letal até o fim da Série B.

+ Veja todos os gols de Chay pelo Botafogo

O camisa 14 foi um dos grandes protagonistas e carregou holofotes no título do Glorioso. Mais do que a história de superação, foram oito gols e oito assistências em 31 jogos na competição. Muitas vezes, atuou no sacrifício passando por cima de dores no joelho.

Esse ano, porém, o filme foi 'pausado'. Chay e Luís Castro nunca se entenderam taticamente. O camisa 14 chegou a ser utilizado como volante, foi lançado como ponta e as atuações caíram de rendimento.

+ Botafogo chega junto com o Santos e faz sondagem por Brian Rodríguez; LAFC pede mais de R$ 40 milhões

O meio-campista não marcou gols na atual temporada e contribuiu com três assistências, sendo a principal delas na semifinal do Carioca contra o Fluminense, quando Luís Castro ainda não tinha assumido o comando da equipe.

No fim das contas, a negociação será boa para as três partes. O Botafogo dá rodagem para um jogador que consequentemente perderia espaço, Chay volta a trabalhar com um treinador que soube potenciá-lo e o Bahia consegue um reforço importante na briga pelo acesso à Série A.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos