Presidente do SP sofre pressão para afastar Igor Gomes

Igor Gomes foi expulso aos 40 minutos do 1º tempo (Pedro H. Tesch/AGIF) (Pedro H. Tesch/AGIF)

Não é só o torcedor do São Paulo que tem pedido o afastamento de Igor Gomes. Na sexta-feira, dia seguinte à derrota por 3 a 1 para o Atlético-GO, o presidente do Tricolor, Julio Casares, foi cobrado por diversas alas. Teve diretor, conselheiro, sócio... todos exigindo uma posição forte contra o meio-campista.

Igor Gomes já estava com o filme queimado no Morumbi há semanas, devido às fracas exibições e à pedida alta para renovar contrato. A gota d'água ocorreu em Goiânia, quando o atleta foi expulso de maneira infantil aos 40 minutos do primeiro tempo.

Com um a menos, o São Paulo acabou levando dois gols e se complicou na semifinal da Copa Sul-Americana, o único torneio em que o Tricolor parecia ter chances reais de título.

Apesar da pressão interna e externa, Casares não parece disposto a afastar Igor Gomes. Entre outras coisas, o presidente tricolor entende que tal atitude poderia repercutir mal entre os jogadores às vésperas da partida de volta contra o Dragão, marcada para quinta-feira, no Morumbi.

Antes da decisão, o São Paulo ainda enfrenta o Cuiabá, fora de casa, pelo Brasileirão. E diante da sequência horrível de resultados, com quatro derrotas seguidas, e uma vitória nas últimas oito partidas, um bom resultado na Arena Pantanal é fundamental, até para se distanciar da zona de rebaixamento.