Presidente da CBBoxe destaca legado eterno de Eder Jofre

Marcos Brito e Éder Jofre (Foto: Divulgação)


Tricampeão mundial de boxe dos pesos pena e galo, Éder Jofre será lembrado por protagonizar uma das mais brilhantes trajetórias do esporte mundial. Com 86 anos, ele morreu no último domingo, vítima de uma sepse urinária e de uma insuficiência renal aguda.

O Brasil tem muitos motivos de sobra para exaltar a memória de um de seus grandes ídolos. Marcos Brito, presidente da CBBoxe, a Confederação Brasileira de Boxe, lembra a importância do brasileiro para o esporte. O astro foi exemplo de amor ao esporte.

- Ele foi conhecido mundialmente como o Galinho de Ouro. Foi um exemplo de dedicação de amor ao esporte e com talento absolutamente próprio. Ele conseguiu ser campeão mundial por três vezes em uma época que para se chegar a qualquer coisa a dificuldade era muito maior do que hoje em dia. Até o retorno financeiro era muito menor. Então, todas as dificuldades que ele passou mostram que ele teve muita vontade e muita força de superação - afirma Marcos Brito.

As palavras do dirigente descrevem um passado de conquistas de Jofre, considerado o melhor peso galo da história do boxe pela revista especializada "The Ring". Ele encerrou a carreira com 75 vitórias, quatro empates e duas derrotas.

Não à toa, Jofre teve seu nome imortalizado em duas grandes ocasiões. Em 1992, entrou para o Hall da Fama do Boxe, em Nova York. No ano passado, em Los Angeles, passou a integrar o Hall da Fama da Costa Oeste dos Estados Unidos.

Jofre também esteve presente em programas televisivos e filmes, como “Quebrando a Cara” (1986), “A Carne é Fraca” (2005) e “Onde a Moeda Cai Em Pé” (2018). Em 2018, sua vida inspirou o filme "10 Segundos para Vencer".

- Ele serve de exemplo para todos os nossos atletas, nossos boxeadores que desejam justamente chegar aos títulos mundiais, superando absolutamente diversos obstáculos. Enfim, ele é um norte para o atleta e para o ser humano por ser uma pessoa especialíssima e merece absolutamente toda a consideração possível do Brasil como herói do boxe, do Brasil e como atleta exemplar - conclui Brito.