Ponte Preta tem de pagar indenização ao Rio Grande por marca histórica

Justiça determinou que Ponte Preta não utilize mais a marca de
Justiça determinou que Ponte Preta não utilize mais a marca de "mais antigo do Brasil". Foto: (Diogo Reis/AGIF)

Uma decisão da 1ª Vara Cível da Comarca de Rio Grande, proferida pela juíza Aline Zambenedetti Borghetti, condenou a Ponte Preta ao pagamento de uma indenização de R$ 2 milhões ao Sport Club Rio Grande pelo uso da marca de clube mais antigo do Brasil.

No texto da sentença, a juíza ordenou a Ponte a: "retirar qualquer alusão ao título de 'mais antigo do Brasil' e quaisquer outras expressões com significado semelhante, tais como 'mais antigo do país', 'primeiro clube do Brasil', 'primeiro clube do país', de todos os seus meios de divulgação e material de marketing". Além disso, foi definido que o clube de Campinas terá de fazer uma retratação pública "em jornais de grande circulação e canais da internet, especialmente redes sociais, admitindo o erro em se autointitular o 'time mais antigo do Brasil', além de esclarecer que tal denominação pertence ao clube demandante (o Rio Grande)".

Leia também:

Cláudio Diaz, presidente do Rio Grande, em entrevista ao repórter Rafael Divério, do portal GZH, comemorou a decisão judicial: "Finalmente demos um basta nessa história. Era uma promessa nossa resolver essa questão e devolver a Justiça ao clube". Já a Ponte Preta, apesar de não se manifestar publicamente, confirmou que fora notificada da decisão e que cabe recurso.

Há décadas, os dois clubes disputam o título de clube mais antigo do Brasil. O Rio Grande foi fundado em 19 de julho de 1900, enquanto a Ponte tem sua fundação datada de 11 de agosto de 1900. O Dia Nacional do Futebol, comemorado em 19 de julho, faz homenagem ao clube gaúcho, que tem um documento da CBF onde é atestada a sua antiguidade. O argumento da Ponte Preta é de que o Rio Grande teria fechado o seu departamento de futebol em certo momento, algo que não é provado.