Polícia conclui inquérito e indicia Rafael Ramos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Com a conclusão do inquérito policial, os próximos passos cabem, agora, ao Ministério Público do Rio Grande do Sul.
Com a conclusão do inquérito policial, os próximos passos cabem, agora, ao Ministério Público do Rio Grande do Sul. Foto: (Silvio Avila/Getty Images)

Ao concluir o inquérito policial do caso de suposta injúria racial cometida pelo lateral português Rafael Ramos, do Corinthians, contra o meio-campista Edenílson, do Internacional, o delegado Roberto Sahagoff, titular da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Porto Alegre, decidiu por indiciar o jogador do clube do Parque São Jorge por injúria racial e enviar o documento produzido ao Ministério Público do Rio Grande do Sul, que agora irá decidir se dará andamento à investigação na Justiça, pedirá novas provas ou arquivará o caso.

Em contato ao ge, o delegado Roberto Sahagoff comentou sobre a última etapa do processo que lhe cabia: "O caso foi concluído por mim e encaminhado ao Ministério Público. O promotor definirá se ingressa com ação, arquiva ou pede alguma diligência".

Leia também:

Daniel Bialski, advogado contratado pelo Corinthians para defender o lateral-direito, considerou arbitrariedade da polícia e que irá tomar medidas jurídicas a respeito: "Acaso o delegado pretenda, contra a prova pericial taxativa, indiciar o Rafael, iremos tomar as devidas providências jurídicas, seja para evitar isso, seja para apurar o abuso de autoridade praticado. Não se tolerará novamente arbitrariedade".

Entenda o caso

No empate em 2 a 2, o jogador colorado, que tem passagem vitoriosa pelo clube do Parque São Jorge, acusou o defensor português de tê-lo chamado de "macaco" em uma disputa de bola na lateral do gramado do Estádio Beira-Rio. Após a partida, o corintiano foi detido em flagrante pela polícia, ainda na casa do Inter, e teve de pagar fiança de R$ 10 mil para ser liberado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos