Polícia do RS indicia Rafael Ramos, do Corinthians, por suposta injúria racial contra Edenílson

Edenilson acusa Rafael Ramos de tê-lo chamado de macaco (Foto: Ricardo Rimoli / Lancepress!)


O delegado Roberto Sahagoff, titular da 2ª Delegacia da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, indiciou Rafael Ramos, do Corinthians, por suposto ato de injúria racial do lateral corintiano contra o volante Edenílson, do Internacional.

+ GALERIA - Relembre 10 momentos marcantes de Jô no Timão

O inquérito foi concluído e enviado ao Ministério Público, que decidirá se dará prosseguimento no caso, pedirá arquivamento ou solicitará novas provas.

Na última semana, a perícia oficial, produzida pelo Instituto Geral de Perícias (IGP), apontou como inconclusiva a análise do vídeo da discussão os jogadores.

Mesmo assim, Sahagoff já havia apontado que haviam outros indícios para apontar injúria racial de Rafael Ramos, e que a perícia oficial não está vinculada com a decisão que concluiu o inquérito.

Roberto de Andrade, diretor de futebol do Timão, classificou como 'um absurdo' a declaração do delegado.

A compreensão da defesa do Corinthians, liderada pelo advogado Daniel Bialski, é de que não há elementos que comprovem que o jogador português tenha cometido injúria racial contra Edenilson.

Portanto, o clube alvinegro tomará providências no campo legal para evitar a validade da decisão.

- Acaso o delegado pretenda, contra a prova pericial taxativa, indiciar o Rafael, iremos tomar as devidas providências jurídicas, seja para evitar isso, seja para apurar o abuso de autoridade praticado. Não se tolerará novamente arbitrariedade - afirmou Bialski.

+ TABELA - Confira e simule os jogos do Corinthians no Brasileirão

ENTENDA O CASO

Durante o segundo tempo do empate em 2 a 2 entre Internacional e Corinthians, no Beira Rio, pela sexta rodada do Brasileirão, Edenílson afirmou que teria sido chamado de macaco pelo lateral corintiano Rafael Ramos, que, por sua vez, diz ter usado a expressão "foda-se, caralho".

O jogador do Timão foi preso em flagrante pelo crime de injúria racial, e após o pagamento da fiança, estipulada em R$ 10 mil, foi liberado.

Rafael contratou duas perícias particulares que confirmaram a sua versão, uma delas inclusive foi entregue pelo jogador durante o depoimento que deu na sede do Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP), na semana passada.

Na segunda-feira (8), Edenilson também prestou depoimento na sede do TJD-SP e manteve a acusação contra Ramos.

Durante a tarde da última quarta-feira (8), o meia do Inter protestou nas suas redes sociais após o parecer inconclusivo da perícia feita pelo IGP.

– Não iriam nos calar? Já nos calaram. Se ofendidos, aceitem, engulam a seco. Finjam que não escutaram, é uma luta desleal, é uma luta INCONCLUSIVA! – escreveu o jogador em uma rede social, junto a uma foto dele com um ‘X’ na região da boca.

O atleta do Colorado também apagou todas as fotos da sua conta no Instagram e mudou nome para ‘Macaco Edenilson Andrade dos Santos’, em protesto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos