Polícia realiza reconstituição do assassinato do lutador Leandro Lo em São Paulo

Leandro Lo foi morto com um tiro na cabeça em boate paulista (Foto: Reprodução/Instagram Leandro Lo)


A polícia de São Paulo realiza nesta quarta-feira uma reprodução simulada da morte de Leandro Lo, campeão mundial de jiu-jitsu, dentro de uma boate paulista no inicio de agosto. A reconstituição foi um pedido da defesa do PM Henrique Otávio de Oliveira Velozo, responsável pelo disparo. A informação é do 'G1'.

+ Brasileiro deixará a Juventus, ex-Flamengo assina com clube europeu… o Dia do Mercado!

A reprodução já seria feita por ordem da polícia, segundo nota publicada pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) no dia 20 de agosto. Henrique Otávio alega legítima defesa e não participará da reconstituição por ainda não ter prestado depoimento.

O PM está preso desde o dia seguinte ao crime, quando se entregou à Corregedoria da Polícia Militar (PM), no presídio militar Romão Gomes, por suspeita de homicídio doloso (intencional) por motivo fútil. Segundo a defesa do policial, ele alega ter sido cercado por seis lutadores e decidiu reagir.

+ Conheça a trajetória de Leandro Lo no jiu-jitsu

Segundo os advogados que representam a família de Lo, o lutador imobilizou o homem quando se envolveu na briga, mas, ao soltá-lo e se afastar, foi baleado. O campeão mundial foi encaminhado para o hospital, mas teve morte cerebral confirmada logo depois.

Leandro Lo tinha 33 anos e foi oito vezes campeão mundial de jiu-jitsu em cinco categorias diferentes. O atleta também ganhou cinco Copas do Mundo da modalidade e conquistou oito Pan-americanos.