Polícia Civil tenta identificar são-paulino acusado de racismo no Morumbi

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A Polícia Civil está tentando identificar o torcedor são-paulino acusado de racismo contra um torcedor do Fluminense, na tarde deste domingo (17), nas arquibancadas no estádio do Morumbi, durante o empate em 2 a 2 entre as equipes, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Em contato com o UOL Esporte, Cesar Saad, delegado do DRADE (Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva), afirmou que a vítima registrou um boletim de ocorrência, e a Polícia está tentando identificar o acusado por reconhecimento facial.

"Em relação à parte da Polícia Civil da investigação vai ter o inquérito policial. O Boletim de Ocorrência foi registrado. Nós estamos tentando identificar o torcedor por reconhecimento facial. A vítima foi localizada por causa do post do Twitter. A parte criminal da investigação já está em andamento esse inquérito", disse.

Além do caso de racismo, o vídeo também mostra três policiais militares passando pelo local no momento em que o são-paulino faz os gestos em direção à torcida do Fluminense. O UOL pediu um posicionamento da Polícia Militar sobre a conduta dos oficiais, mas não recebeu resposta até a conclusão deste texto.

Em seu Twitter, um homem com o nome de perfil "Brandão Fluminense" postou um vídeo do torcedor do São Paulo imitando um macaco em uma das arquibancadas do estádio.

"Hoje 17/07/22, fui no Morumbi assistir o jogo com uns amigos e infelizmente fui vítima de racismo pelo um torcedor do São Paulo. Não quero nada com esse vídeo, até porque sei a importância que eu tenho. Mas isso tem que acabar. RACISMO É CRIME E INFELIZMENTE AINDA EXISTE", escreveu.

O São Paulo se pronunciou em nota oficial e se colocou à disposição das autoridades para identificar o agressor. O clube do Morumbi também vai colocar o departamento jurídico para auxiliar a polícia e, caso o torcedor seja sócio, será banido do estádio.

O Fluminense, por sua vez, repudiou o ato e pediu celeridade na investigação do caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos