Polêmico dono do Phoenix Suns diz que venderá equipe da NBA

O polêmico dono do Phoenix Suns, Robert Sarver, multado em US$ 10 milhões e suspenso por um ano pela NBA por comentários racistas e misóginos, disse nesta quarta-feira que venderá a equipe.

Após as sanções impostas na semana passada, a chefe do sindicato de jogadores da NBA, Tamika Tremaglio, pediu que Sarver fosse suspenso para sempre e as estrelas da NBA LeBron James e Chris Paul declararam que as punições não eram severas o suficiente.

O principal patrocinador dos Suns, o PayPal, disse que não renovaria seu contrato se Sarver ainda estivesse envolvido na equipe e o vice-presidente da franquia, Jahm Najafi, pediu a renúncia do proprietário.

"Em nosso clima implacável atual, tornou-se dolorosamente claro... tudo de bom que fiz, o que ainda poderia fazer, foi superado pelas coisas que disse no passado", declarou Sarver em um comunicado.

"Por essas razões, estou começando o processo de procurar compradores para os Suns e o Mercury (equipe da WNBA, a liga feminina de basquete, da qual o empresário também é dono)", acrescentou.

O comissário da NBA, Adam Silver, disse ao impor as sanções que não acreditava que as infrações chegariam ao ponto de obrigar Sarver a vender a franquia, como aconteceu anteriormente com o ex-proprietário do Los Angeles Clippers, Donald Sterling, que protagonizou outra polêmica por ter feito um comentário racista.

Ao anunciar a venda, Sarver declarou: "Este é o melhor curso de ação para todos". A investigação de dez meses analisou os problemas que duraram quase 20 anos no ambiente de trabalho dos Suns. "Palavras que lamento profundamente agora ofuscam quase décadas construindo organizações que uniram as pessoas".

"Como homem de fé, acredito na expiação e no caminho até o perdão. Esperava que a suspensão de um ano do comissário me desse tempo para me concentrar, fazer correções e tirar minha controvérsia pessoal das equipes que eu e muitos fãs amamos", continua.

Mas, para Sarver, a condenação rápida e veemente por parte de jogadores, patrocinadores e executivos significava que qualquer reparação teria que ocorrer depois de sua saída dos Suns e do Mercury.

"Não quero ser uma distração", disse o empresário. "Quero o melhor para estas duas organizações, os jogadores, os funcionários, os torcedores, a comunidade, meus companheiros proprietários, a NBA e a WNBA".

"Enquanto isso, continuarei trabalhando para me tornar uma pessoa melhor e continuarei apoiando a comunidade de maneira significativa", concluiu.

js/bb/ol/cb