Pogba sobre a extorsão do irmão: "Eles apontaram armas para mim"

Paul Pogba falou em depoimento sobre o que aconteceu na noite de 19 de março. Foto: Daniele Badolato - Juventus FC/Juventus FC via Getty Images
Paul Pogba falou em depoimento sobre o que aconteceu na noite de 19 de março. Foto: Daniele Badolato - Juventus FC/Juventus FC via Getty Images

Poucas semanas depois que o caso de extorsão de Mathias ao seu irmão Paul Pogba veio à tona, os investigadores estão cada vez mais convencidos de que o homem de 32 anos desempenhou "um papel ativo", segundo o jornal francês Le Parisien. O mais velho da família está sob custódia policial junto com outros quatro suspeitos.

Agentes da Central de Combate ao Crime Organizado questionaram Mathias, que consideram um elo com os demais envolvidos, alguns deles amigos de infância de Paul. A polícia verificou que o irmão estava no centro de treinamento da Juventus, junto com os chantagistas, para pressionar Paul.

Leia também:

No entanto, Mathias alegou ter agido dessa forma por pressão de terceiros. No interrogatório, negou qualquer participação na extorsão e no sequestro com arma sofrido pelo irmão mais novo. Os primeiros elementos sugerem que as pessoas do círculo íntimo de Pauloeles teriam exigido 13 milhões de euros, três deles para entrega imediata, durante um sequestro.

Isso aconteceu em um apartamento em que havia vários homens armados e teria acontecido em março passado, nos arredores de Paris. Os chantagistas teriam exigido essa compensação por terem protegido o jogador durante anos. Pogba teria entregado 100 mil euros e assinado um documento no qual prometia pagar o restante.

Dois dias após a prisão de Mathias Pogba, o jornal Le Monde publicou um pequeno trecho do depoimento do jogador da Juventus perante o juiz sobre o que aconteceu naquela noite de 19 de março.

"Eu me lembro de estar com medo. Dois caras apontaram suas armas para mim. De repente, assaltado e ameaçado, eu disse a eles que ia pagar", disse o meio-campista francês.