Pelo Corinthians, Vítor Pereira pode repetir feitos de Abel Ferreira e Jorge Jesus no Brasil


O Corinthians disputa uma vaga na final da Copa do Brasil, nesta quinta-feira (14), contra o Fluminense. E caso o clube alvinegro confirme a classificação, o técnico Vítor Pereira repetirá o feito dos seus ‘patrícios’, Abel Ferreira e Jorge Jesus, ao chegar em uma decisão logo na primeira temporada no futebol brasileiro.

+ Manto do Corinthians: veja os modelos finalistas para quarta camisa do Timão em 2023

Ainda que em mais tempo que os compatriotas, e com duas eliminações anteriores, Vítor pode cumprir um feito que vai além das expectativas corintianas para esta temporada.

Anunciado pelo Timão no dia 23 de fevereiro, VP deu o primeiro treino cinco dias depois, em 28 de fevereiro. Seis meses e 18 dias depois, ele pode confirmar a promoção à primeira final no Brasil.

O intervalo é menor do que Abel e Jesus, mas coloca Pereira em um cenário importante para comparação de trabalho e apresentação de resultados.

Entre o primeiro treinamento aplicado no Flamengo e a classificação à primeira decisão, JJ demorou quatro meses. Já Abel, por conta do calendário enxuto, por conta da pandemia do novo coronavírus, precisou de somente de dois meses e meio para conquistar a vaga na sua primeira final com o Palmeiras.

+ Confira a tabela da Copa do Brasil e simule a reta final da competição

Confirmado a chegada à final da Copa do Brasil, Vítor Pereira conseguirá o feito seis meses e 16 dias depois de ter aplicado o primeiro treino no Timão. O tempo é maior, mas, ainda assim, coloca o treinador corintiano na mesma prateleira em relação às primeiras temporadas dos dois grandes exemplos de sucesso entre técnicos portugueses no Brasil.

Para carimbar a vaga na final da competição nacional, o Timão precisa vencer o Fluminense por qualquer placar, no jogo de volta da semifinal do torneio. O confronto será realizado na Neo Química Arena, estádio corintiano, nesta quinta-feira (15), às 20h. A partida de ida, realizada há três semanas, aconteceu no Rio de Janeiro, com empate em 2 a 2, que o Time do Povo foi buscar nos minutos finais, com Róger Guedes.

Qualquer empate em Itaquera, levará a decisão para os pênaltis.

E a tendência é que o classificado entre Corinthians e Flu enfrente o Flamengo na decisão, já que a equipe da Gávea venceu o São Paulo por 3 a 1, na ida da semifinal, no Morumbi, e praticamente carimbou a caga em mais uma competição nesta temporada.

O JOGO

Adversário do Corinthians na semifinal da Copa do Brasil, o Fluminense é treinado pelo técnico Fernando Diniz, que foi muito elogiado por Vítor Pereira em uma palestra que o português concedeu no evento Brasil Futebol Expo, promovido pela CBF, na semana passada.

Fernando Diniz e Vítor Pereira
Fernando Diniz e Vítor Pereira

Diniz e VP na beirada de campo durante um dos confrontos entre Corinthians e Fluminense em 2022 (Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense)

- A equipe do Diniz, o Fluminense, joga um jogo que nunca tinha visto. Nunca tinha visto ninguém apostar tanto em um corredor, linha de passes, contra outros corredores. O Palmeiras já joga diferente, que quando uma equipe joga mais alto é que eles impõe mais dificuldades - disse Vítor Pereira na palestra.

Após o empate em 1 a 1 no clássico contra o São Paulo, no último domingo (11), Vítor passou o 'mapa do tesouro' para derrotar o Flu.

- Uma equipe com Fluminense e que coloca tanta gente entrelinhas, a tricotar o jogo na espera do movimento do passe, boa metida entrelinhas exige da nossa parte muita concentração, do primeiro ao último minuto, não como fizemos lá que entramos duas vezes, os primeiros minutos das duas partes, e isso map pode acontecer temos que entrar concentrados e o momento que vivemos bola, seja em contra ataque seja em organização ofensiva temos que vestir e criar problemas e con cret\que as oportunidades - destacou o técnico corintiano.

Em meio ao jogo decisivo contra o Flu e o possível feito grandioso, principalmente em comparação a outros técnicos portugueses que fizeram sucesso recentemente no futebol brasileiro, Vítor vive o impaasse da sua continuidade, ou não, no Corinthians. Com contrato até dezembro, o treinador está identificado com o clube alvinegro, mas está longe da sua família, que segue em Portugal e não pode se deslocar para o Brasil, por conta de um problema de saúde da sogra do técnico corintiano.