Pedro Raul faz dois, Goiás vira sobre o Botafogo e deixa a zona da degola

RIO DE JANEIRO, RJ, 06.06.2022 – BOTAFOGO-GOIÁS: Pedro Raul, do Goiás, comemora seu gol - Partida entre Botafogo e Goiás, válida pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro Série A 2022, realizada no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, na noite desta segunda-feira. (Foto: Thiago Ribeiro/Agif/Folhapress)
RIO DE JANEIRO, RJ, 06.06.2022 – BOTAFOGO-GOIÁS: Pedro Raul, do Goiás, comemora seu gol - Partida entre Botafogo e Goiás, válida pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro Série A 2022, realizada no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, na noite desta segunda-feira. (Foto: Thiago Ribeiro/Agif/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - O Goiás venceu, de virada, o Botafogo, na noite desta segunda-feira (6), por 2 a 1 e deixou a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Já o clube alvinegro desperdiçou a chance de entrar no G4, visto que atuou em casa, no estádio Nilton Santos. O triunfo Esmeraldino foi construído com dois gols de Pedro Raul, no segundo tempo, após Cuesta abrir o placar na etapa inicial.

Com o resultado, o Esmeraldino chega a 12 pontos, empatando com o Flamengo, o próprio Alvinegro e o Santos. Com a derrota, por outro lado, o Glorioso desperdiçou a oportunidade de retornar ao G4.

Na próxima rodada, o Botafogo encara o Palmeiras, no Allianz Parque, enquanto o Goiás visita o Fortaleza. Os dois jogos vão ser na quinta-feira.

O Botafogo, novamente, teve novidades na escalação. Desta vez, Hugo ganhou chance na lateral esquerda e Vinícius Lopes no setor ofensivo. Assim como em outras partidas em casa, a equipe do técnico Luís Castro tentou imprimir um ritmo mais forte nos primeiros minutos, e conseguiu construir algumas jogadas, principalmente com passes em profundidade. Porém, também se mostrava envolvido na transição ofensiva do Goiás, que achou alguns espaços.

No retorno do intervalo, o time conseguiu se mostrar um pouco mais compacto, dificultando os avanços dos adversários. Mas, aos poucos, deixou o jogo aberto e, neste cenário, os visitantes conseguiram criar boas chances de marcar.

O Goiás foi a campo no esquema de 3-5-2 e conseguiu fazer boas ligações ofensivas, achando espaços na marcação, mas pecava na parte defensiva. "Correndo atrás" quando o adversário atacava, o time de Jair Ventura abusou das faltas no primeiro tempo.

Para o segundo tempo, houve mudanças, em uma tentativa de fazer o time ser mais reativo, mas o Goiás demonstrou maior dificuldade na saída de bola, e se mostrou mais recuado. Porém, com novas alterações, foi se consolidando e criando oportunidades claras.

O JOGO

A partida começou movimentada, mas com muito "perde e ganha" entre as intermediárias. O Goiás assustou em um lance em que houve confusão na área e a bola sobrou para Caio, mas errou o alvo.

Já o Botafogo, chegou perto em boa jogada de Hugo, que invadiu a área e bateu. A bola explodiu na defesa e houve pedido por toque na mão, mas a arbitragem mandou seguir.

O Esmeraldino teve de fazer a primeira substituição ainda nos primeiros minutos do jogo. Após uma jogada, Matheusinho caiu no gramado e indicou fortes dores. Ele deu lugar a Vinicius.

O Goiás encontrou dificuldades na transição defensiva e, "atrasado", acabou apelando para as faltas para parar os ataques adversários. A sequência de penalidades — foram 13 no primeiro tempo —, inclusive, gerou grande reclamação dos jogadores alvinegros.

O Esmeraldino chegou perto de abrir o placar quando, após cobrança de escanteio, Dadá Belmonte pegou o rebote e, de fora da área, finalizou. A bola passou perto da trave direita de Gatito.

Quando a etapa inicial caminhava para o fim, o Botafogo abriu o placar. Depois de cobrança de escanteio de Daniel Borges, Víctor Cuesta cabeceou, mandou no canto esquerdo de Tadeu, e saiu para comemorar.

Logo na volta para o segundo tempo, Erison recebeu lançamento em velocidade e bateu, mas mandou para fora.

Diferentemente do primeiro tempo, o Goiás esbarrava na marcação adversária e demonstrava um pouco mais dificuldades para chegar ao ataque. Porém, em uma das investidas, Dadá Belmonte ganhou dentro da área e bateu de perna direita, carimbando na trave. Na continuidade do lance, Fellipe Bastos mandou para fora.

Em uma tentativa de mudar a cara da equipe, Jair Ventura colocou Pedro Raul, que defendeu o Botafogo em 2020. E no primeiro lance, a bola sobrou na área e ele girou, mas mandou para fora.

O Goiás chegou ao empate em uma jogada com dois jogadores conhecidos da torcida do Botafogo. Fellipe Bastos, que é cria do Alvinegro, cruzou de três dedos, e Pedro Raul apareceu sozinho na área para completar de cabeça.

Em contra-ataque, Vinicius aciona Pedro Raul, que chega escorando para o gol e vira a partida.

Nos minutos finais, o Botafogo se lançou ao ataque tentando fazer, ao menos, o gol de empate.

O Botafogo recebe uma comitiva do RWD Molenbeek, da Bélgica, que também tem participação de John Textor. Integrantes do clube estiveram no Nilton Santos acompanhando o jogo e ficam até quinta-feira, para a realização de uma série de reuniões.

Estádio: Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Paulo Henrique Schleich Vollkopf (MS)

VAR: Daiane Caroline Muniz dos Santos (FIFA / SP)

Cartões amarelos: Víctor Cuesta, Lucas Fernandes (BOT); Elvis (GOI)

Gols: Cuesta, aos 45min do 1º tempo (BOT); Pedro Raul, aos 28min do 2º tempo e aos 35min do 2º tempo

BOTAFOGO

Gatito Fernández; Daniel Borges (Saravia), Kanu, Víctor Cuesta e Hugo; Luís Oyama, Tchê Tchê (Chay) e Lucas Fernandes (Patrick de Paula); Vinícius Lopes (Diego Gonçalves), Erison e Victor Sá. T.: Luís Castro

GOIÁS

Tadeu; Sidimar, Reynaldo e Caetano; Maguinho, Caio (Fellipe Bastos), Elvis (Apodi) (Pedro), Matheus Sales e Dadá Belmonte (Pedro Raul); Matheusinho (Vinicius) e Nicolas. T.: Jair Ventura

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos