Pedro faz história, Flamengo vence o Vélez e está na final da Libertadores


O Maracanã viveu mais uma noite mágica de Copa nesta quarta. Com mais de 66 mil torcedores presentes, o Flamengo virou para cima do Vélez Sarsfield (ARG), confirmou a vantagem obtida no jogo de ida, e está em sua terceira final de Libertadores em quatro anos - a quarta da história. A vitória por 2 a 1 veio com gols do artilheiro Pedro e Marinho, após Lucas Pratto (aquele) abrir o placar para os argentinos.

Agora, o Flamengo enfrentará o Athletico, que eliminou o Palmeiras. A decisão brasileira será em Guayaquil, no Equador, no dia 29 de outubro. Até lá, o Rubro-Negro volta suas atenções para a Copa do Brasil - decide uma vaga na final com o São Paulo, no próximo dia 14 -, e para o Campeonato Brasileiro, no qual ocupa a segunda posição.

VÉLEZ ABRE O PLACAR: TEMOS UM JOGO?

O descanso dado aos titulares não garantiu ao time do Flamengo a intensidade desejada na etapa inicial. Assim, enfrentando um Vélez que errou bem menos, defensivamente, do que em Buenos Aires, o Rubro-Negro não teve o controle das ações e a partida ficou aberta.

Chances reais, contudo, não apareceram de cara. A primeira, na verdade, pode ser a considerada a do gol de Lucas Pratto, aos 21. Arrascaeta foi desarmado na intermediária, Janson avançou pela esquerda até cruzar para o centroavante desviar, já na pequena área: 1 a 0 para os argentinos, cuja classificação ainda estava distante.

PEDRO (SEMPRE ELE) FAZ HISTÓRIA NA COPA

Com mais erros do que o de costume, o Flamengo seguiu dando espaços para o Vélez chegar com velocidade ao ataque. Ao mesmo tempo, melhorou um pouco com Cebolinha para a direita. Santos e Burían, em chutes de Caséres e Arrascaeta, fizeram boas defesas, e o jogo se encaminhava para o intervalo com o Vélez Sarsfield na frente.

Até que apareceu Pedro. Aos 42, Everton Ribeiro levantou na área, e o camisa 21 mostrou porque está no radar da Seleção: impulsão para ganhar no alto de Los Santos, precisão para vencer Burían: 1 a 1. Um gol histórico para o atacante, que passa a ser o maior artilheiro em única edição da Libertadores pelo Flamengo, com 12 bolas na rede.

SEGUNDO TEMPO EM RITMO MAIS LENTO

A partida teve um ritmo mais lento no início do segundo tempo, o que refletiu no baixo número de finalizações. O Vélez, precisando marcar gols, não se lançou ao ataque. O Flamengo, já pensando na final, também não se arriscava. Assim, logo que Vidal e Filipe Luís receberam cartões amarelos, foram substituídos por Erick e Ayrton Lucas. Marinho também entrou no lugar de Everton Cebolinha.

VIRADA E FESTA COMPLETA NO MARACANÃ!

E, assim que entrou, coube a Marinho marcar o gol da virada do Flamengo. Antes da finalizar de fora da área, no ângulo de Burían, o atacante contou com a luxuosa assistência de Pedro, que deu linda caneta antes de tocar para o camisa 31 na entrada da área. Golaço!

Assim, a festa foi completa na despedida do Nação do Maracanã nesta Liberta. O Flamengo vai rumo à glória eterna em Guayaquil!

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2X1 VÉLEZ SARSFIELD


Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data e horário: 7 de setembro de 2022, às 21h30
Árbitro: Piero Maza (CHI)
Auxiliares: Alejandro Molina (CHI) e Nicolás Gamboa (CHI)
Árbitro de vídeo: Juan Lara (CHI)
Renda/Público: R$ 5.522.336,00 / 61.519 pagantes / 66.635 presentes

Gols: Lucas Pratto (0-1, 21'/1ºT), Pedro (1-1, 42'/1ºT) e, Marinho (2-1, 23'/2ºT)

Cartão amarelo: Filipe Luís e Vidal (FLA); Garayalde e Seoane (VEL)
Cartão vermelho: Não houve.

FLAMENGO (Técnico: Dorival Júnior)

Santos; Rodinei, Fabrício Bruno, Pablo e Filipe Luís (Ayrton Lucas, 17'/2ºT); João Gomes, Vidal (Erick, 17'/2ºT), Everton Ribeiro (Varela, 39'/2ºT) e Arrascaeta (Diego, 39'/2ºT); Everton Cebolinha (Marinho, 17'/2ºT) e Pedro.

VÉLEZ SARSFIELD (Técnico: Alexander Medina)

Burián; Jara, de los Santos, Brizuela e Ortega; Garayalde, Cásere (Seoane, 26'/2ºT) e Orellano (Julian Fernández, 15'/2ºT), Janson (Castro, 39'/2ºT), Florentín (Osório, 15'/2ºT) e Lucas Pratto (Walter Bou, 15'/2ºT).