Paris e outras cidades da França pretendem boicotar a Copa do Mundo 2022

Inglaterra e França fazem amistoso após atentado em Paris (Foto: ADRIAN DENNIS/AFP)


As prefeituras de Paris, Lille, Estrasburgo, Reims, Bordeaux e Marselha afirmaram que devem boicotar a Copa do Mundo do Qatar como protesto contra o país sede do evento. Com isso, as cidades não devem contar com estruturas de telões para transmissão dos jogos do mundial.

+ Dinamarca terá camisas de protesto contra a Copa do Qatar

O secretário de Esportes de Paris deu entrevista para a agência AFP e afirmou que a decisão se deve as “condições da organização deste Mundial, tanto na vertente ambiental como social”.

O prefeito de Bordeaux, Pierre Hurmic, foi mais duro e disse que se sentiria "cumplice" de transgressões aos direitos humanos se ajudasse a divulgar a Copa.

- Comprometidos com os valores do compartilhamento, da solidariedade no esporte e da construção de um lugar mais sustentável, não podemos contribuir para a promoção da Copa do Mundo de 2022 no Catar, que se tornou um desastre humano e ambiental – afirmou.

A realização da Copa do Mundo no Qatar vem causando polêmica e diversos protestos em todo o mundo. Recentemente, a seleção da Dinamarca lançou uma camisa com um protesto contra o país. O Supremo Comitê para Entrega e Legado, que organiza a Copa do Mundo no Catar, contestou o protesto do país europeu.

De acordo com a ONG Anistia Internacional, os estádios da Copa foram construídos por meio de trabalhos abusivos com atrasos de salários e sem a liberdade de deixar o emprego ou formar sindicatos para lutarem por seus direitos. Segundo o jornal 'The Guardian', seis mil pessoas morreram desde 2010 nas obras dos estádios